31 dezembro 2005

Adeus 2005, viva 2006

É normal em cada final de cada ano fazer uma pequena análise do ano que ora termina.
Não vou fugir a essa regra. Não serei a excepção que confirma que a dita.
De facto foi um ano onde tudo me aconteceu. A maioria, boa.
O lançamento de mais uma obra, “África, Trajectos Políticos, Religiosos e Culturais” que já vai na segunda edição e que foi objecto de uma entrevista efectuada por um Jornalista, com “J” grande (eu sei que ele não gosta de elogios e de quem esteja sempre de acordo consigo, pois como ele diz, para isso basta a sua sombra, mas é a grande realidade) que pratica essa nobre arte no JN e no NL, Orlando Castro; foram os artigos e comentários no Jornal de Notícias; os artigos de Opinião, por vezes elevados ao mais alto “posto” no Notícias Lusófonas, ou seja, serem Manchetes; no Africamente.com onde alguns artigos publicados no blogue e alguns inéditos, também viram a sua publicação; no AngoNotícias com alguns comentários que mostraram que os angolanos ainda não estão preparados para debater certos assuntos, infelizmente ainda tabus na nossa comunidade; e por último no semanário Frente Oeste onde mantenho – embora com uma irregularidade natural – uma coluna de opinião. Além de citações esporádicas e simpáticas no sítio Democracia Liberal; ou as crónicas auto-publicadas no sítio Eu sou.com ou participações no Sanzalangola.com.
Pode-se dizer que foi um ano que terminou em beleza. Depois da eleição para os corpos dirigentes da Casa de Angola, em Lisboa, e da entrevista no Jornal de Notícias e da publicação de um artigo deste blogue no Africamente.com (sobre o 27 de Maio de 1977), a Manchete no Notícias Lusófonas sobre as cada vez mais utópicas eleições angolanas. Até quando?
Espero que 2006 seja também um ano profícuo.
Para começar, vou ter mais tempo para me dedicar à escrita, aos livros e, acima de tudo, ao meu terceiro patamar académico: o doutoramento; já que passei da vida activa bancária para a “peluda”.
E com ela poderei abraçar outros voos e outras formas de ver a vida.
Também, a partir do próximo ano irei abrir outro blogue, este dedicado unicamente à cultura, como a poesia e o conto: será o Malambas (palavras). Nele poderão participar todos aqueles que desejem publicar um poema ou um conto com um mínimo de qualidade e, de preferência, da grande casa lusófona; ou informações sobre a cultura em geral. Mas não estará restrito a esta.
A qualidade não tem (não deve ter) fronteiras nem pátria.
A todos vos agradeço este ano de 2005.
Assim, neste ano que acaba e para o que se avizinha, votos de Feliz e Próspero Ano de 2006.

3 comentários:

IO disse...

E como é bom ver alguém bem!!, boa, Parabéns!!, eh, pá, vou ser visita do teu blog da Cultura!! - beijo de Bom Ano!!, IO.

Ana disse...

Feliz Ano 2006 . Que as suas "Malambas" se tornem também nossas . Felicidades .

MN disse...

Obrigado igualmente caro amigo Lobitino.
Estou de volta da mãe África, Angola está no mesmo lugar mas começa a caminhar em direcção ao progresso -pelo menos foi a impressão que tive-.
Passei para dar um kandando amigo e desejar um feliz 2006.