14 dezembro 2005

Quem olha pelas nossas crianças?

Não gosto de copiar, na íntegra, ou quase, as palavras dos outros. Mas quando elas reflectem tudo o que nos vai na alma após a leitura do artigo, a melhor solução é transcrevê-lo. Pois aqui vos deixo.

"As condições da infância em Angola são as piores a nível dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), com a morte de 195.000 crianças com menos de cinco anos em 2004. Estes dados foram hoje divulgados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no relatório anual intitulado "A situação mundial da infância 2006: Excluídas e invisíveis".
Segundo esta agência das Nações Unidas, a taxa de mortalidade de menores de cinco anos em Angola mantém-se nos níveis de 1990 (260 por cada mil), tal como em São Tomé e Príncipe (118), enquanto em Cabo Verde diminuiu de 60 em 1990 para 36 em 2004, na Guiné-Bissau também houve uma redução de 253 para 203 e em Moçambique passou dos 235 para os 152.
O documento destaca que a taxa de mortalidade em Angola é a segunda mais elevada do mundo entre menores de cinco anos."
O resto podem - não, DEVEM - ler aqui.

Será que as nossas crianças não deveriam estar na primeira linha das nossas preocupações.
Não estamos nós na épocas em que as crianças são o principal das nossas atenções??
Até quando, esta hipocrisia senhores????

2 comentários:

IO disse...

Esses gajos todos, uns e outros, declararam a morte do futuro. Quando o seu julgamento? - abraço para ti, IO.

E-clair disse...

Que interessa a época em que estamos?? O que interessa é que os adultos continuam a desprezar/maltratar horrendamente as crianças, e fazem-no TODOS os dias!