12 fevereiro 2006

Presidenciais em Cabo Verde

(c) fotomontagem do Notícias Lusófonas
Hoje, ao fim do dia, os cabo-verdianos saberão qual destes dois cavalheiros (Carlos Veiga e Pedro Pires) - dois gentlemen da política cabo-verdiana - irão saber quem irá presidir aos seus destinos nos próximos 5 anos.
Que os casos ocorridos durante as legislativas não se voltem a acontecer para evitar situações como a protagonizadas pelo MpD que apresentou a impugnação do acto eleitoral, esquecendo-se que as eleições ganha-se nas urnas e que casos de polícia devem ser dirimidos pela justiça e não por impugnação de actos eleitorais.
Para alguma coisa os partidos e os elegíveis têm representantes seus junto das urnas; e é nessas alturas que os actos devem ser questionados e, em caso disso, pedidos a sua impugnação.
Nunca à posteriori; dá uma má imegem, mesmo, ou principalmente, no caso cabo-verdiano justmaente considerado um paraíso na política africana.
Que o perdedor saiba honrar a vitórioa do vencedor e este saiba ser magnânimo com os perdedores.

1 comentário:

planaltobie disse...

Mas estou de acordo com Carlos Veiga. Há que dividir os poderes e conversar com a sociedade civil. Mas Pires também é um grande democrata. CVerde está bem, sim senhor!

PCosta