10 março 2006

Mudança de inquilino em Belém

© Foto de Andre Kosters, Lusa/CM
Um que sai – Jorge Sampaio – e outro que entra – Aníbal Cavaco Silva.
E o que entra – provavelmente para não ficar atrás de Sampaio – começou logo a distribuir condecorações.
O primeiro foi, precisamente, o seu antecessor. Senhor Professor Cavaco já só falta oferecer cerca de 1899 medalhas. Tem 10 anos – em Portugal (será só?) presidente que entra torna-se, irremediável e hereditariamente, rei-presidente – para cumprir esse desiderato. E acredito que consegue ultrapassar esse não sei se record.
Na mensagem de tomada de posse, o novo presidente português não esqueceu a Lusofonia e, em particular, a CPLP. O antecessor também não; só não foi a Angola e Guiné-Bissau… inconvenientes de uma agenda cheia... de coisa nenhuma.

4 comentários:

Jorge Neto disse...

Olá Eugénio, não estou certo, mas Sampaio esteve am Angola recentemente,em 2005, não foi? Corrija-me se estiver enganado. À Guiné-Bissau tenho a certeza que não veio.

Anónimo disse...

Jorge Sampaio esteve em Angola, em visita não oficial, em 1997 na tomada de posse do GURN. A última visita oficial de um presidente aconteceu em 1996. Mas não foi só a Angole e GB que não foi. Também não terá ido aos EUA.
E quanto às condecorações o record está em Mário Soares com 2.448 seguido de Ramalho Eanes com 1.952.
(Alguns destes números podem ser confirmados no PortugalDiário: http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=651901&div_id=291).
Cumprimentos
Eugénio Almeida

Anónimo disse...

Já agora, o mesmo assunto pode também ser lido no Notícias Lusófonas.

Jorge Castro

Anónimo disse...

Posso estar enganado, mas podia jurar que o Sampaio esteve presente nas comemorações dos 30 anos da independência de Angola em Novembro último. Portanto em 2005.
Posso estar enganado mas... não me parece que seja o caso.
Abraço