31 agosto 2007

Diana Frances Spencer (1961-1997), Princess of Wales

(1) Ela foi uma das vozes que mais gritou contra estas (2) assassinas silenciosas que, ainda, hoje estropiam Angola(3)

Fotos e imagens de:
(1)
Biografías y Vidas; (2)Foto E-mine; (3)Foto ACT Angola digital

30 agosto 2007

Turquia, um presidente a prazo?

(DDR)
"Naturalmente, a Turquia elegeu, à terceira volta – é-o por via indirecta, ou seja, parlamentar –, o seu presidente.
Seria natural se na Turquia não existissem umas Forças Armadas que defendem o laicismo de Mustafa Kemal Ataturk, o pai da moderna Nação turca, e não gosta de intromissões religiosas no poder, e se o Governo não estivesse assente num Parlamento maioritariamente de cariz islâmico, devido à forte maioria obtida pelo AKP nas últimas legislativas.O presidente eleito, foi-o com os votos do partido maioritário, de que é vice-presidente, é conhecido pela sua militância islâmica, por vezes, de forma pouco discreta a que não ajuda o facto da futura primeira-dama usar ininterruptamente o véu islâmico, um controverso símbolo do Islamismo para os secularista do país, mesmo em recintos oficiais, o que é contrário às leis turcas. (...)
" (continue a ler aqui)
Artigo de opinião publicado n', edição 049, de hoje sob o título "Abdullah Gul, um presidente pouco discreto?"

29 agosto 2007

Ota, Alcochete, Portela + 1 e... Fátima?

Já não bastava a ciranda que está a ser a localização do novo aeroporto internacional de Lisboa (se é de Lisboa como aparece fora dela ou do seu distrito) eis que surge mais uma hipótese: Fátima!!!
Sobre isto um artigo de opinião meu hoje publicado na coluna de opinião do Notícias Lusófonas, sob o título "Ota ou Fátima?".

"Quando o Governo ainda não descartou Ota, apesar do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) já ter dado Alcochete como possível alternativa, quando ainda há a possibilidade de estudo de Portela + 1, eis que surge para a mesma região da Ota – quase uma em cima da outra, passe a imagem – a peregrina ideia de se criar um aeroporto em Fátima, aproveitando ao aeródromo já existente, o de Giesteira, só para voos religiosos do Vaticano e da sua companhia de “low cost”.
Tal como já faz para Lourdes e
para outros lugares Santos, os responsáveis aeronáuticos da Santa Sé querem fazer voos directos para Fátima.
Mas então Ota também não estava prevista como aeroporto para fazer face aos desafios de Lisboa e do Centro-oeste onde se insere Fátima?
Será por isso que o Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC) já veio alertar que… Cuidado! porque, como escreve o Diário Notícias, “
até ao momento não existe qualquer processo em curso para certificação da pista da Giesteira como aeródromo e que o seu uso para aeronaves comerciais "seria abusivo e sujeito às contravenções da lei para estes casos"”.
Alguém não está, ou se esqueceu, de falar com as pessoas certas.
Ou será que Ota já caiu mesmo e no Governo ninguém tem coragem de assumir a derrota e dar, religiosa e peregrinamente, a outra face? Quem se ri é quem, sempre que pode, se põe em bicos de pés para dizer “ganda nóia, eu é que tinha razão…
Uma coisa é certa, os empresários locais já estão a tratar do assunto e o PDM de Fátima prevê a “ampliação de 1600 metros para 1750” metros da pista, com vista a receber futuros voos internacionais.
"

A despedida de uma grande Atleta?

Sob o título "Bye, Bye Mutola!", um artigo publicado n' , na edição de hoje, nº 48, onde se reflete o quanto deveremos respeitar e saudar a grande Senhora e Atleta Maria de Lurdes Mutola e onde é igualmente evocado Nelson Évora e Obikwelu.
"Osaka parece ter sido o palco para a despedida de uma grande atleta chamada Maria de Lurdes Mutola.
A atleta mamba que até aos cerca dos 25 metros finais lutou por uma medalha – que parecia ser dela indiscutivelmente – nos 800 metros, a sua disciplina rainha.
O cansaço, a que, sejamos honestos e não escamoteemos, a idade e as responsabilidades enquanto dinamizadora do atletismo no seu país, traíram-na e impediram-na, e a nós, de vermos mais uma bandeira lusófona, no caso a de Moçambique, num dos mastros mais altos dos Campeonatos do Mudo de Atletismo, Osaka 2007.
Uma senhora Atleta que parece se ter despedido do Atletismo.
Saudemos uma Senhora Atleta, não a que foi, mas a que continua a ser! (...)
" (continuar a ler aqui)

28 agosto 2007

Prémio para Mia Couto, mais um…

(Mia Couto; foto daqui)
Soube ainda hoje, por uma notícia que vai sair na edição de amanhã d’O Observador (diário moçambicano em edição por assinatura), que Mia Couto foi galardoado com o prestigiado prémio para a língua portuguesa Passo Fundo Zaffari & Bourbom de Literatura, com o romance “O outro pé da sereia”.
De notar que um dos candidatos era o nobelizado José Saramago.
Este prémio, vai na sua V edição, no montante de 100 mil reais (cerca de 37.500 euros) é uma realização da Universidade de Passo Fundo e da Câmara Municipal desta cidade, que dista cerca de 330 quilómetros de Porto Alegre, e é concedida de 2 em 2 anos na “Jornada Nacional de Literatura”.
Além do prémio monetário, Mia Couto vai receber o troféu “Vasco Prado" igualmente concedido pela aquela universidade brasileira.
Além de Saramago, que apresentou a obra “As intermitências da morte”, concorreram a este certame nomes consagrados da literatura brasileira como Milton Hatoum, Luiz Ruffato, Flávio Carneiro, Adriana Lunardi, Hélder Macedo, Maria Valéria Rezende e Antônio Torres.
Moçambique e Mia Couto, uma vez mais de parabéns.

Irmãos protegem-se?

(não percebo se ele diz “fiquem aí” ou… “venham depressa daí”; e quem é o militar que está por trás?; foto ©daqui)

A notícia seguinte parece que vem do Zimbabwé e é reproduzida n’ O Apostolado sob o título “TROPAS ANGOLANAS REFORÇAM GUARNIÇÃO DE MUGABE”.
Sem mais comentários do que o título sugere, aqui vos deixo a notícia:
"Cerca de mil e quinhentos soldados angolanos estão a caminho do Zimbabwe, para reforçar a guarnição do Presidente Robert Mugabe.
A denuncia foi feita na capital daquele país pelo jornal Taime, acrescentando que as movimentações podem estar a ocorrer de forma faseada há dois meses. (...)
"
O resto leiam aqui, enquanto deixarem…

Miala, e a montanha vai parir um rato?

(DDR)
Quem tem competência e quem o pode fazer?
Não entende, por vezes, também eu não. Principalmente quando há quem diga que nunca disse nada e, por este andar, nem a sindicância alguma vez houve…
Depois de se verificar que, ao contrário do que propalavam, Fernando Garcia Miala, antigo director-geral dos Serviços de Inteligência Externa de Angola (SIE), não teria sido promovido, eis que o arguido e principal acusado –ainda não se sabe bem do quê – afirma, ou terá afirmado, que não revê competência ao Tribunal – já antes quase questionada – que o julga como militar e querer ser julgado como civil.
Entenderam? Pois acho que nem os principais actores ainda entenderam o que quer que seja e amanhã, ou quinta, parece ser o “dead time” para o julgamento.
Quem irá ser acusado e do quê? Na dúvida já lhe estarão a preparar uma “suite” na cadeia do Tombo, perto de Luanda. E os restantes arguidos, para que “hotel” irão?
Por este andar ainda vamos ver mas é o Estado angolano no banco de tribunais – o que seria normal num Estado de Direito Democrático rico, muito rico (será por isso que a União Europeia ainda não abriu o pui?) – por utilização indevida de meios contrários à liberdade da condição humana…
O mais certo – e, provavelmente, o mais aconselhável – é, no fim, a montanha parir um rato...

O que é África?

"Já bastas vezes me fizeram esta pergunta e outras similares. O que vês em África, o que é África, a que sabe África, o que gostas em África e, a mais pertinente e decisiva, porque é, simultaneamente, aquela que também nós africamos fazemos mais vezes: para onde vai África?
África é um continente que não se define, não se vê, não se saboreia. África, tal como Savimbi o dizia para Angola, não se gosta ou desgosta, sente-se.
África, para os nascidos ou não aqui, é um continente que embrenha nas pessoas, como um vírus; que nos penetra no nosso mais profundo âmago, como a água que bebemos; que nos enleia, como uma jibóia ondulante.
África é como uma surucucu. Enorme, cativante, perigosa e mortal; ou seja, bela e cobiçável. (...)
" (continuar a ler aqui)
Artigo publicado n' , edição 47, de hoje sob o título "África não se define, sente-se!"

O adeus de uma grande Senhora Atleta?

(Mundiais de Atletismo 2007, em Osaka , Foto via TV)

A queda, a cerca de 25 metros da linha final dos 800 metros, de Maria de Lurdes Mutola pode ter significado o fim, não esperado e por certo não desejado pela Atleta, da sua participação no Atletismo, apesar de ainda haver, para o ano, os Jogos Olímpicos em Pequim.
Mas se foi o fim, que os moçambicanos saibam transmitir, no regresso ao País, o tributo que merece esta Grande Senhora e Grande Atleta moçambicana.
Obrigado Maria de Lurdes Mutola!!
Já agora os meus parabéns a dois atletas portugueses - e porque não três, já que Obikwelu ainda está em prova e nas meias-finais dos 200 metros - de origem afro-lusófona, Nelson Évora, medalha de ouro no triplo salto (filho de cabo-verdianos nascido na Costa do Marfim - um grande triplistas como IO aqui o chamou - e Naide Gomes que pereu, por somente 3 centímetros e no último salto a medalha de prata - nos três primeiros lugares ficaram outras tantas russas, por sinal as actuais melhores do Mundo...
Ou seja, dois - com hipóteses de serem três - grandes murros no estômago de uns imbecis que querem travar a entrada de imigrantes em Portugal.
Se não fossem estes não veriam e ouviriam o hino português...

Garzón e uma cooperação mista jurídica

O confrade “O Jumento”, creio ser a primeira vez que o faço, mas que sem aqui o citar é de leitura obrigatória pelo humor e pelas incisivas setas que dispara, escreve hoje sob o título GARZÓN ESTÁ A IR LONGE DEMAIS, o que segue
Aceita-se que Portugal colabore, dentro de determinados limites, com o combate ao terrorismo em Espanha, compreende-se que um magistrado espanhol considere que essa colaboração é indispensável, admite-se que esse magistrado proponha ao governo espanhol que solicite a colaboração portuguesa usando os canais próprio. Mas são inaceitáveis os termos em que o juiz Garzón, não lhe cabe fazer propostas envolvendo as polícias portuguesas, a sua magistratura acaba na fronteira, a partir daí coloca-se uma questão de soberania, não cabendo aos magistrados substituírem-se aos canais diplomáticos.
Só que desta vez não concordo, na totalidade, com o Jumento. O juiz Baltazar Garzón mais não fez do que limitar-se a levar à letra a proposta de Saramago e de um iberista Ministro do actual Governo “Autónomo” de Portugal: Isto ainda vai ser – é!! – uma grande Ibéria!!!!

25 agosto 2007

Afrobasket 2007, e o campeão é...


ANGOLA

depois de vencer na final os Camarões por 86-72 (com uns estreitos 33-31 ao intervalo) sendo, assim, os representantes africanos nas Olimpíadas de Pequim.

A classificação final do Afrobasket2007 pode ser lida aqui e aqui ou aqui.

A final não visionada do Afrobasket2007

(A cooperação 'colonial' portuguesa)

canais, que, transmitir, final, afrobasket, 2007” ou “radio, rtp, africa, afrobasket”; estas foram duas das frases que mais acederam ao meu blogue via motores de busca web.
Durante a emissão dos jogos de futebol do campeonato português transmitidos em directo e em sinal aberto pela TVI, a RTP-África que os transmite para África (tal como a RTP-Internacional, penso e se não estou errado) mostra para os assinantes que em Portugal acedem ao canal luso-africano (desculpem se estou errado quanto à qualificação do mesmo…) do canal de Cabo a imagem acima e enquanto o jogo durar.
Se os assinantes não podem aceder – aceito como natural esta imposição do canal privado português ao grupo RTP de que o tal canal luso-africano (desculpem, é querer que realmente ele o seja) – transmitem para Portugal as imagens não seria normal e natural que durante esse período a Diáspora pudesse ver o jogo que, por acaso, é quase à mesma hora?
A final do Afrobasquete começou por volta das 19,00 horas e o jogo Benfica-Guimarães às 19,15 horas.
Transmitiam o primeiro para Portugal e para os angolanos que têm acesso ao canal por cabo e o futebol por satélite.
Mas como a cooperação cultural que Portugal defende, é o que é… ANGOLA!
Ao menos valeu-nos a sua prima Rádio (RDP-África) – que, por acaso, é do mesmo grupo!!!!! –, com informações intercaladas do encontro da final, para sabermos que o campeão africano foi…
Também as rádios on-line do grupo Rádio Nacional de Angola (Rádio Luanda e Canal A) ou da Rádio Ecclésia – que não previa o relato na sua programação – não foram acessíveis via Internet. Deveríamos ser muitos os que queríamos ouvir por esta via.

Austrália versus Reinado

(foto©VOA/AP photo)

Podem não ser verdadeiras as acusações do major Alfredo Reinado, mas que se começa a perceber porque os australianos nada fazem por o apanhar, e de preferência vivo, lá isso se começa…
Enquanto isso, Xanana vai se encontrando com o militar desavindo às escondidas preparando a “sua rendição”.
E quem o irá buscar? Se forem os “aussies” será que não haverá um acidente pelo caminho?

Uma lei da rolha pouco subtil

Se havia dúvidas que em Portugal falar, mesmo que com razão, é sinónimo de maçadorias e de candidatura a levar com uma “rolha” o que se passou com o autor do blogue “Do Portugal profundo”, com a maneira como certo jornalismo é tratado e, ou, é subserviente ao poder instituído, e “last, but not least” o que agora se passa com o Professor José Adelino Maltez, sujeito a um inquérito com eventuais consequências disciplinares, no ISCSP, é prova inequívoca que a censura em Portugal é muito (pouco) subtil, mas certa e evidente.
Antes eram os clubes de futebol que impunham a “lei da rolha” aos seus jogadores e funcionários.
Agora, é a sociedade civil e política que o faz aos cidadãos…
E viva a censura republicana, laica e socialista; ou será republicana, progressista e cristã; talvez, mais, república(na), liberal e anacrónica.
Por certo, que será culturalmente política e subserviente!
E viva a delapidação da cultura. Que ninguém se atreva a contestá-la!...
.
Adenda: e para que a cultura portuguesa - e Lusófona, porque num caso e no outro é, era, globalmente lusófona - fique ainda mais pobre, acabei de saber que faleceu um Homem da Cultura portuguesa, o professor e ensaísta Eduardo Prado Coelho.
.
NOTA: Tal como tinha desaparecido da web, assim ele voltou a aparecer. Já se acede, de novo, ao portal da CEPP e no endereço original: http://www.iscsp.utl.pt/cepp.
Houve quem não gostasse que se estrebuchasse mas, parece ter sido a única solução.

24 agosto 2007

Para Cabo Verde, a medalha de bronze!

(Selecção de Cabo Verde no jogo com Angola; foto ©Elcalmeida, via RTP-África/Repórter)
.
Cabo Verde fez história no 24º Campeonato Africano de Basquetebol (Afrobasket-2007) ao vencer o Egipto por 53-51, conquistando, assim, a medalha de bronze do Campeonato.
Entretanto, a Nigéria terminou o campeonato no 5º lugar após vencer os tunisinos por 83-82.
Devem ter sido 2 encontros muito doridos.
Parabéns ao pessoal da Morabeza que hoje deverão cantar a noite com muita morna, coladeira, batuque, funaná, tabanca e colá.
E, provavelmente, teremos Cabo Verde a discutir o título no 25º Campeonato!
Ah! Uma nota complementar e quando faltam 24 horas para a final...
Já agora, amanhã poderemos ter a final na RTP-África? Não!? é verdade. O Benfica joga quase à mesma hora e há compromissos com a SportTv e com a TVI.
Desculpem, esqueci-me deste pequeno pormenor…

Na Somália morreu mais um jornalista… qual a novidade?

(uns deliciam-se, outros, na Somália, morrem à sede; foto de alguém que não sei quem, as minhas desculpas)

Num mês é o terceiro que é morto na Somália.
Jornalista, embora também seja historiador mas não faz uso desta sua prorrogativa, de 40 costados – para ele, um jornalista é-o 24 horas, mesmo que desempregado – Orlando Castro verbera esta morte e como a situação na Somália está a ser tratada nos grandes salões da Europa sob um sugestivo, quanto pertinaz, título “Mais um jornalista assassinado na Somália - Europa protesta entre um copo de whisky”.
Mas será que a Europa sabe onde fica a Somália? E será que gastariam um “viski” por um povo que, ainda por cima, vive numa região chamada “Corno de África” – ups...vá de retro santanás – olha se pega…
Entretanto, enquanto a Europa se delicia nos seus deliciosos e faustosos euro-salões com maltes puros de 45 ou mais anos, enquanto outros tentam mostrar à essa e a outra Europa o que se passa nos seus países, vão sendo silenciados.
Hoje foi um no sul do país! Há cerca de duas semanas, em Mogadíscio, outros dois. Todos na Somália que diziam a Paz ia chegar com o fim dos extremistas islâmicos e a chegada das forças africanas que se posicionariam ao lado dos etíopes.
A Paz para a Somália não chega, os etíopes estão sozinhos e os eritreus vão apoiando os extremistas e a ONU vai, sentada e bem-posta aprovando resoluções e fazendo acusações contra eritreus, esquecendo-se dos etíopes…!

Dívida perdoada a santomenses...

(antiga roça de Porto Alegre; foto daqui)

"A dívida de São Tomé e Príncipe está, aos poucos, ser perdoada pelos seus principais credores, nomeadamente, no chamado Clube de Paris (CP) onde predominam os credores bilaterais. O acordo com o Clube ocorreu em Maio de 2007.
Um pequeno parênteses para diferenciar, de forma ligeira, o Clube de Paris, que agrupa países e onde se tratam as dívidas bilaterais entre Estados, e o Clube de Londres, que agrupa as dívidas multilaterais entre Estados e privados, e não poucas vezes, também públicas, mas debatidas e reescalonadas sob supervisão de banqueiros internacionais.
Depois de ver perdoada, na íntegra, a sua dívida ao Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD, vulgo Banco Mundial) e ao Fundo Monetário Internacional (FMI), num montante perto dos 320 milhões de dólares americanos (USD), e de perdoados cerca de 13% da dívida total aos 19 credores inscritos do CP Alemanha, Portugal e Angola decidiram, também estes, perdoar a dívida que ascende a cerca de 46,6 milhões de USD. (...)"
Artigo de opinião publicado no ; para continuar a ler aqui ou aqui

SADC defende medias…

(DDR)

"Pois! Eu também defendo que não há bruxas. Mas como dizem os espanhóis “que as há… há”.
Tudo isto porque a SADC reafirma que os medias são muito importantes para a defesa da democracia e consolidação da paz.
Tudo isto foi dito num seminário que ocorreu em Luanda, subordinado ao tema “Eleições, liberdade de expressão e informação na região da SADC” e integrante da IX Conferência do Fórum de Comissões Eleitorais da SADC.
Por isso, e para que se mostre que na SADC essa premissa é devidamente cumprida, os jornalistas que estão – ou pensavam – fazer a cobertura do julgamento do general, passado à reserva compulsiva, Fernando Miala, foram
expulsos do Tribunal. E bem razão tinha o Tribunal em expulsá-los.
Então não é que o senhor general Miala, o antigo chefe da secreta angolana, se lembrou de falar e fazer perguntas e observações incómodas para a acusação?
Logo ele que tinha entrado como “insubordinado” já o querem pôr, também, como “ladrão”. E ele que ainda nem sabe do que realmente está a ser acusado…
As acusações vão desde, eventual deserção – o que se estranha (...)" (continuar a ler aqui)

Publicado n’ , nº. 045, de hoje, sob o título “Miala: De herói do Estado a reles Ladrão?”;

23 agosto 2007

Afrobasquete 2007, e na final estão…

(Um belíssimo bailado entre Angola e RCA; foto ©da galeria daqui)

Camarões (que derrotou o Egipto por 68-52) e Angola, depois da vitória sobre Cabo Verde, por 93-60 (apesar do desnível final, ao intervalo havia só 39-32; crioulos venderam cara a derrota e mostraram que os resultados obtidos não foram por acaso).
Egipto e Cabo Verde – uma selecção para contar no futuro – vão disputar, amanhã, o torneio para os 3º e 4º lugares.
Para os postos imediatos já há definições.
Assim, Moçambique, inesperadamente, ou talvez não dado que na série de grupos só tinha vencido por um ponto, quedou-se pelo 14º lugar após derrota com a África do Sul (85-97).
Assim, do 5º ao 16º, a classificação ficou ordenada como segue:
Nigéria ou Tunísia – vão decidir entre si, amanhã, o 5º e 6º lugares –, Rep. Centro-Africana, Costa do Marfim, Senegal, Marrocos, Mali, Ruanda, África do Sul, Moçambique, Rep. Dem.Congo e Libéria.

Perdão da dívida a STP via Clube de Paris

A dívida de São Tomé e Príncipe está, aos poucos, ser perdoada pelos seus principais credores, nomeadamente no chamado Clube de Paris (CP) – difere do Clube de Londres, actualmente pouco activo – onde predominam os credores bilaterais. O acordo com o CP aconteceu em Maio de 2007.
Depois do Banco Mundial e do FMI, foi há dias Alemanha, agora perspectiva-se que Angola (nas relações bilaterais é o maior país-credor), Portugal, Rússia, França e Itália e espera-se, também, que China e Argélia o façam.
Como STP não tem relações com a China – porque presumo que quando falam em China não é Taiwan –, torna-se interessante saber como e de quando é a dívida e como os chineses irão se satisfazer pelo perdão.
É que um dos ajustamentos ao perdão passa pela reconversão da dívida em benefício dos santomenses, nomeadamente o combate à pobreza.
Mas sabemos que os chineses estão muito para além da pobreza. Se ela não combate a interna como se preocupará com a dos outros.
Todavia, parece que STP é rico em hidrocarbonetos, não o é?...

A cooperação na luta ao narcotráfico

(“Pensão Central” em Bissau; ximunada, naturalmente, ©daqui)

Portugal e Guiné-Bissau acordaram em incrementar a cooperação para combater, com um máximo de eficácia desejável, o narcotráfico que faz da Guiné-Bissau um dos mais indesejáveis entrepostos de África e uma plataforma entre os cartéis latino-americanos e os mercados europeus, nomeadamente, os mercados do norte da Europa.
Pode ser que assim, casos como este citado no Jornal Digital, pela pena de Rui Nuemann, possam se transformar num simples número estranho e inaudito numa sociedade justa e democrática.
Agora é só mais um caso das muitas situações referidas pelo jornalista e por outros órgãos informativos e, ou, individualidades

22 agosto 2007

Às vezes estamos cheios e bloqueamos...

(uma folha ou um monitor em branco descaradamente roubada daqui)

Acontece a todos e ninguém escapa a esta situação...

"Há momentos na vida de um escritor, de um jornalista, de uma analista político, ou de um investigador que olhamos para uma folha de papel, mantemos uma caneta ou um lápis suspenso no ar, visualizamos um monitor e trespassamos com um olhar perdido as teclas do de um qualquer computador, e nada sai para fora.
Introspectamos e sentimos que o cérebro há um manancial de informação que quer sair, mas não consegue.
É o que sinto neste momento em que escrevo estas linhas.
Olho à minha volta e vejo inúmeros livros e documentos que estou a estudar e ler para o meu Doutoramento e sei que daí poderia tirar algo para aqui deixar. Mas, pergunto-me por onde começar.
Abro os diferentes ficheiros alojados nos dois occipitais do cérebro e descortino matéria sobre matéria que poderia e deveria aqui deixar para análises futuras e debates imediatos. (...)
" (continuar a ler aqui)
Publicado n', edição 43, de hoje, sob o título "Bloqueio cerebral"

21 agosto 2007

E as surpresa continuam…

(DDR)
No Afrobasquete, Cabo Verde eliminou a fortíssima equipa da Nigéria nos quartos de final por 53-62 com um empate a 23 pontos ao intervalo.
Cabo Verde junta-se ao Egipto, que derrotou a Tunísia (67-57), nas meias-finais onde se espera, naturalmente (???, já não digo nada…), a presença de Angola.
Veremos mais logo! E se Angola passar às meias finais repetirá o jogo 2 das preliminares; ou seja vamos ter um desafio entre rebitas e coladeras para ver quem melhor dançará.
Registe-se, entretanto, a derrota por diferença muito curta de Moçambique face ao Mali (67-61). Os mambas vão jogar com a Libéria, a mais fraca nação do torneio, para os lugares entre o 13º e o 16º.
Os restantes jogos:
Uff!! Parecia que adivinhava. Angola vence a República Centro-Africana por “” 78-51. Só, porque ao intervalo a diferença entre as duas equipas era de 7 pontos a favor dos Palancas
De acordo com o comentador da RDP-África – a única estação que informa a Diáspora dos jogos de Angola e, penso, de Cabo Verde e Moçambique, para o Afrobasquete – este foi o melhor jogo do torneio.
Entretanto, os Camarões despacharam a Costa do Marfim (75-70) e vão disputar as meias-finais com o Egipto enquanto a Lusofonia irá oferecer à final uma equipa já que, como previa acima, Angola vai defrontar Cabo Verde na outra meia-final. Os dois jogos são no próximo dia 23.
E, já agora, como uma nota de rodapé:
Como a Televisão Pública de Angola (TPA) ainda não transmite via Internet – eu pelo menos não consigo aceder à multimédia, nem na mais recente (os últimos vídeos são de 13/Agosto) quanto mais em directo –, e como também não consigo aceder à Televisão de Cabo Verde (TCV) – que por acaso até está indisponível será também do efeito “retro-escavadora”? – será que seria pedir muito à RTP-África que oferecesse este encontro à Diáspora? Até, por sinal, é as 20,00 horas de Luanda e Lisboa…
Vamos todos pedir à administração da RTP que deixe o seu canal de África fazer a sua obrigação. Em vez de programas que só interessam à comunidade portuguesa para isso têm a RTP-Internacional , transmita uma partida de e para africanos que estão fora dos seus países.
Penso que não seria pedir muito, pois não???...

Como está animado o Girabola2007 com a segundona à espreita

Na sexta, o meu Benfica de Luanda, que esteve com um pé na edição deste ano da CAF/Mandela Cup e luta, agora, para não ser despromovido, bateu o Atlético da princesa do Namibe por 2-1. O 1º de Maio, da cidade das acácias, travou o Esperança Sagrada, empatando mas ficando, ainda, em zona perigosa de descida; o Petro do Huambo derrotou o ASA (1-0) – só não percebo porque o treinador angolano não tem o mesmo destaque que Manuel Fernandes… e não me venham dizer que isto é excesso de nacionalismo da minha parte –; o Interclube derrotou no Luena o Juventude do Moxico, o que põe esta equipa n o próximo ano, definitivamente, na segundona; o Petro-Atlético de Luanda bateu o Desportivo da Huíla (uma província bem representada) por 2-1; e o líder 1º de Agosto foi empatar ao Lubango com o Benfica local.
Ou seja, vamos ter um final de campeonato com 3 equipas, separadas entre si por 4 pontos, em pleno confronto. Duas delas encontrar-se-ão já na próxima jornada: 1º de Agosto – Petro-Atlético de Luanda enquanto o Interclube recebe os desmancha-prazeres (o ASA que o diga) do Petro do Huambo.
Por sua vez no torneio de apuramento da segundona para o Girabola2008 interessantes confrontos onde participam equipas históricas como o Recreativo da Caála que deveria ter visitado o FC Bravos do Maquis mas que se deve ter esquecido do caminho ou da data e perdendo, por isso, por falta de comparência (faltou dois dias seguidos), e o Benfica de Huambo que recebeu o Académico do Lobito ou a visita do Sporting de Cabinda ao Esperança do Kongo.
Três equipas históricas, a que se junta o não menos histórico Progresso do Sambizanga, a quererem voltar à ribalta da 1ª divisão, o Recreativo da Caála – a faltar aos jogos será difícil –, o Benfica do Huambo – como deve estar eufórico o meu amigo Orlando Castro (??? é que ele é portista) – e o Sporting de Cabinda.
Já agora e para que conste o Sporting de Cabinda, que venceu os kongoleses (1-0) está em boa posição para regressar ao Girabola – comanda o grupo A destacado, seguido do Progresso de Sambizanga; os sambilas, na última jornada, golearam o Dom Afonso Nteka por uns expressivos 8-1.
Por sua vez o grupo B é comandado pelos Bravos do Maquis, seguidos do Recreativo do Libolo (K.Sul). Infelizmente desconheço os restantes resultados porque não se consegue aceder ao portal da FAF.

20 agosto 2007

Os homens do presidente...

(fotograma do filme; ©daqui)

"O Observador tem, ultimamente, dado à estampa situações e artigos sobre como jornalistas e pessoas ligadas à Comunicação Social são directa ou indirectamente atingidas, presas e, ou, vilipendias por aqueles a quem a CS parece fazer sempre sombra e medo.
Compreende-se. A memória de certas pessoa, e quando lhes convém, não é curta. A maioria relembra-se o primeiro lustro dos anos 70 e como dois “malditos” jornalistas fizeram cair o presidente de uma poderosa Nação. Falamos, é evidente, do caso Watergate.
" (continuar a ler aqui).
Publicado n’, edição 041, de 20-Agosto-2007, sob o título “Os candidatos a ditadores não gostam de jornalistas” e citado no Notícias Lusófonas

19 agosto 2007

E assim vai a cultura e a investigação em Portugal

(estaremos perante uma nova Inquisição? imagem furtada...)

Portugal ocupa os lugares cimeiros da cultura e da investigação universitária quer a nível europeu como, e porque não dizê-lo, a nível mundial. Dúvidas? Então leiam o que se segue.
Quando no centenário de um dos poetas mais populares portugueses, Miguel Torga, o Ministério da Cultura – presumo que seja assim que se chame e é se existe – pautou para ausência oficial a nível de chefias ou que uma Universidade a quem lhe ofereceram duas obras – dois ensaios – por acaso, e só mesmo por acaso como adiante compreenderão, da minha autoria, a biblioteca não os aceitar previamente sem antes analisarem à lupa (dixit) as referidas obras é porque se nada em cultura em Portugal.
Se se entende, apesar de eu como autor, embora não tenha sido eu quem as ofertasse mas o meu editor, não goste desta forma de gerir uma Biblioteca que deve ser um local de consulta – e para isso de depósito sem restrições – de qualquer tipo de obra, principalmente se estas até são consideradas de consulta obrigatória como o são na universidade Agostinho Neto, em Luanda, ou na Universidade Lusíada, na mesma cidade, – ah! mas aqui devem estar atrasados na compreensão do que é cultura, provavelmente, – como se entende que numa universidade portuguesa, e receberiam, repito, por oferta, são tão “exigentes”?
Talvez pelas mesmas razões que a seguir descrevo.
Na Universidade Técnica de Lisboa (UTL), existe um Instituto, o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) onde uma das suas principais vertentes lectivas, e como o nome sugere, está no estudo das Ciências Sociais (Ciências Políticas e Relações Internacionais).
Um dos suportes que os futuros licenciados, Mestres ou Doutores desta duas áreas era o Centro de Estudos do Pensamento Político (CEPP), cujo um dos seus principais dinamizadores e ex-Director foi o Professor José Adelino Maltez, agrupado, mais tarde, como portal no ISCSP que eu cheguei a aceder e de lá tirar inúmeras informações quer quando estava a fazer o meu Mestrado, quer agora como Doutorando.
O CEPP era, ultimamente, um portal onde se podia aceder a cerca de 12000 (DOZE MIL) ficheiros da Ciência Política portuguesa e universal com uma área de 183 Megabytes. Um enorme ficheiro que a cultura e o ensino muito agradeciam.
Mas como a cultura é um bem de luxo – daí se compreende que em certos aspectos e em certos produtos se pague IVA dos mais altos; se pague IVA – e como em Portugal não abundo o dinheiro, uma personalidade – não acredito que o tenha feito sozinho e sem apoio de outras – decidiu que este enorme tijolo que pesaria sobra as incautas e (in)cultas cabeças portuguesas – e que estrangeiros, inopinadamente e sem quaisquer custos, também tinham a mania de aceder – além de poder prejudicar, seriamente, os futuros utilizadores da UTL/ISCSP obrigando-os a pagar insuportáveis propinas (aquelas que já são das maiores da Europa, a nível de Universidades públicas), decidiu, escrevia, acabar com o CEPP e limpar dos acessos do ISCSP.
183 Mb deletados e mandados para o lixo como se de um antigo e inapropriado jornal ou livrinho de cordel se tratasse; 183 Mb daquilo que Pacheco pereira considerou como ...o execelente "site" sobre o pensamento político contemporâneo existente em Portugal
Se Portugal soubesse o que é cultura – há quem diga que já o soube até porque tem uma das universidades, a de Coimbra, mais antigas do Mundo – e se houvesse um Ministro ou um Ministério que tutelasse a Cultura ou o Ensino Superior capazmente, de certeza que em vez de limparem o portal tê-lo-iam transferido para uma qualquer fundação – não é isso que um tal Ministério do Ensino Superior propôs às universidades públicas portuguesas? devo ter lido em jornal errado… – e ficaria disponível para quem quisesse aceder.
A pagar, gratuito, restrito, pois fosse assim. Mas ninguém ficaria prejudicado.
Assim… sigo o conselho de quem acha, e bem, que este assunto deve merecer melhor ponderação e pedir que reponham o acesso do CEPP no sítio que existia até encontrarem local mais apropriado. Parece que na Biblioteca do ISCSP não o é…
.
ADENDA: Transcrito no Democracia Liberal, na rubrica "Hoje convidamos..." e citado na Manchete do Notícias Lusófonas

Afrobasket: e à terceira já há surpresas…

(Um pavilhão do Afrobasquete2007 foto ©Afrobasket)

A vice-campeã em título foi afastada da fase final ao perder na terceira jornada com o Egipto por 66-63; o Egipto segue para os quartos do Afrobasquete2007 ficando à espera de companhia que sairá do desafio da noite entre Costa do Marfim e o Mali.
Já Cabo Verde passou aos quartos-de-final após derrotar o Rwanda por 71-62 acompanhando, assim, Angola que vai defrontar Marrocos na sessão da noite, devendo jogar os quartos-de-final com a Nigéria. Duas equipas dos Palop na fase seguinte para bem representar a lusofonia (Angop dixit).
Por sua vez, em Cabinda, Moçambique, o terceiro afro-lusófono e repescada para substituir a Argélia, relegou a vizinha África do Sul (59-58) para o último lugar da série.
Esperemos pela sessão da noite que irá confirmar Angola e Nigéria como vencedores das suas séries – Nigéria já o confirmou depois da vitória sobre a RDCongo por 90-74 –; face a este resultado a RCentro-Africana irá jogar Angola nos quartos. E ficaremos a saber, também, qual a classificação final do grupo D, de Cabinda.

Sessão da noite:

A sessão da noite não trouxe surpresas. Angola venceu Marrocos (108-58) e terminou no 1º lugar da série A enquanto Mali viu Costa do Marfim juntar-se ao Egipto após a vitória dos marfinenses sobre os malianos por 65-63.
No grupo D os Camarões derrotaram a Tunísia por 75-70 acabando o dia com uma surpresa dado que os tunisinos eram favoritos no grupo. No grupo C os centro-africanos derrotaram os liberianos (96-59) e passaram aos quartos-de-final
Assim, os jogos dos 4ºfinal serão como seguem:
Angola - Rep. Centro-Africana; Nigéria - Cabo Verde; Egipto – Tunísia; Camarões - Costa do Marfim.
Para o escalonamento dos 9º ao 16º Moçambique, em princípio, irá jogar com o Mali.

18 agosto 2007

Afrobasket2007 – 2ª jornada

(ddr)
Depois dos desníveis, uns mais que outros, acontecidos na primeira jornada, a segunda do Afrobasquete2007 (ou Afrobasket – o portal oficial é mais lento) mostrou mais equilíbrio e resultados mais interessantes.
Desde logo a vitória de Marrocos sobre o Rwanda somente por 6 pontos de diferença o que vai tornar a terceira partida numa jornada cheia de picante. Cabo Verde, que hoje, naturalmente, baqueou face a Angola (100-44), Marrocos e Rwanda partem com iguais hipóteses para acompanhar Angola aos quartos de final no grupo A.
Se no A há 3 equipas com hipóteses no grupo B estão todas em iguais circunstâncias pelo que só a última jornada decidirá quem irá em frente.
No grupo C só a Nigéria já carimbou o passaporte devendo, como favorita que era, ocupar o primeiro lugar e deixa para o Congo Democrático e para a Rep. Centro-Africana a luta pelo 2º posto, sendo os centro-africanos os que terão mais hipóteses de seguir para os 4ºs de final e jogar com Angola a passagem às meias-finais.
No grupo D é o que está quase resolvido. A última jornada oporá os vencedores das duas primeiras jornadas para decidirem, entre si, quem ficará em 1º e 2º lugares. Moçambique e África do Sul jogarão para os dois restantes lugares e para a disputa da 9ª à 16ª posição. os mambas parecem ter mais hipóteses de fugirem ao último lugar da série.

17 agosto 2007

Afrobasket – 1ª jornada

("Driblo" - tinha de ser um leão?.... -, a bela mascote do Afrobasket2007)
Depois da abertura nos oferecer uma Angola muito forte a defender o título (109-66 ao Rwanda) a 1ª jornada continua com resultados que não dignificam a modalidade e faz repensar se terem aumentado a presença de mais países na fase final – a partir deste 24º Campeonato Africano de Basquetebol, são 16 os países presentes – terá sido boa ideia.
Enquanto na bela capital da Huila, o Senegal (vice-campeão em título e cabeça de série do grupo B) venceu o Mali por 85-70 (o Mali tem na sua formação 6 jogadores que jogam nos EUA), na cidade do Huambo a Nigéria, para o grupo C onde é cabeça de série, devido ao 3º lugar obtido no último Afrobasket, esmagou a Libéria por uns claros e inequívocos 109-35 (ao intervalo já vencia por 49-14; isso, os liberianos só tinham encestado 14 pontos).
Já na mais nortenha província do País, Cabinda, sede do grupo D cujo cabeça de série é a Argélia (quarta classificada no último Afrobasket), os mambas de Moçambique baquearam face aos leões de Camarões por 66-54, um resultado que mostra quanto terá sido equilibrada esta partida.
Se a sessão da tarde terminou assim, esperemos que a “soiré” seja diferente e na cidade das acácias – fica ali ao lado da bela sala de visitas de Angola, sede dos flamingos e das ruas mais esburacadas do País, mas é a minha cidade, Lobito, e onde os hotéis estão todos esgotados, ou não fosse o Lobito uma cidade da noite –, sede do Grupo A cuja cabeça de série é Angola, esperemos que o cinco de Cabo Verde consiga fazer face à favorita Marrocos.
Ou como serão os jogos RAfSul-Tunísia, RDCongo-RCAfricana e Egipto-CMarfim…

A jornada da noite:
A noite trouxe um excelente resultado para as cores lusófonas. A quase neófita Cabo Verde bateu a favorita Marrocos por 85-80 (perspectiva-se um interessante, senão mesmo uma muito bom, jogo para amanhã entre os palancas e os homens das nornas. Pena seria – será o mais certo – se a RTP-África não transmitir o desafio para a Diáspora….)
Os restantes resultados foram: Egipto derrotou a Costa do Marfim por 73-65; a Rep. Centro-Africana venceu o Congo Democrático (66-58) e a África do Sul baqueou face à favorita Tunísia por 72-66.
Uma ressalva, ao contrário do anunciado na Angop, e também citado n’ O Apostolado, a cabazada da Nigéria não foi 109-35 mas… 139-35!!! (segundo o portal do Afrobasket, por acaso muito atrasado face aos resultados.)
Segunda ressalva, ao contrário do que tinha lido algures, e de acordo com a organização, o grupo D tem Moçambique como cabeça de série e não a Argélia.

16 agosto 2007

Guiné-Bissau… Guiné-Bissau…

(Máscara Baga Nimba; daqui)

Há muito, e por respeito aos guineenses que não abordo aqui, ou em outros lugares, nada sobre a Guiné-Bissau. E, acreditem, não tem faltado material mais do que suficiente para sobre este país lusófono – sê-lo-á? – se falar. Ontem, por exemplo – e já nem é a primeira vez – a RTP-África falou na situação dos estudantes-bolseiros guineenses, que se encontram a estudar numa “cooperante” Universidade moscovita, sob os quais pende a possível expulsão das instalações da citada Universidade, a “Universidade Amizade dos Povos” – viva a solidariedade internacionalista – dado que o Governo Bissau-guineense não paga há já um largo tempo as propinas dos referidos estudantes (ver aqui ou aqui).
E, o mais grave, é que alguns já acabaram os seus cursos, a maioria, ou mesmo todos, com aplicações imediatas na economia e no desenvolvimento do País, e vêem-se na contingência de serem expulsos e ficarem sem os referidos Diplomas.
Se há dinheiro para comprar um carro novo, passando por cima de terceiros e sem qualquer rebuço, para ofertar à extremosa mãe de uma alta personalidade guineense, também o Governo tem a obrigação moral de pagar as propinas dos seus estudantes que desejam regressar para ajudar a reconstruir o País.
Enquanto isso, pessoas da sociedade civil procuram refúgio em escritórios da ONU porque são perseguidas pelas suas opiniões, ou em lugares de culto porque não querem manter algumas já estranhas e endógenas tradições na moderna sociedade global, apercebem-se que certos comícios políticos são pagos com fundos provenientes sabe-se lá de onde, com, recentemente, o Movimento Nacional da Sociedade Civil para a Paz, Democracia e Desenvolvimento denunciou, a Liga Guineense dos Direitos Humanos subsiste com a ajuda externa, o sul guineense está, sub-repticiamente, a ser acusado, por quem, não se definem, mas algumas são vozes internas, de apoiar o narco-tráfico, etc., etc., etc.
Que interessante seria se os financiadores e os doadores começassem a vasculhar certas contas bancárias e como elas têm engrossado e não parecem ser contas do Estado, porque só assim se justifica os funcionários continuarem a não receber a tempo e horas e os estudantes verem os seus canudos por um… “canudo”.
Mas o mais interessante foi ter lido no blogue “Africanidades” que uma estátua de bronze foi furtada e não se sabe por onde ela anda. Desconfia-se, mas não se sabe. É que o bronze derretido ainda dá algum dinheiro…
Igualmente interessante é verificar, por exemplo, que Bissau está dia sim, dia sim, às escuras e sem água potável porque, segundo Faustino Cunha, porta-voz da Empresa de Electricidade e Águas (EAGB), faltam verbas para a compra do gasóleo para alimentar a central eléctrica da capital.
Também relevante é o facto de quatro empresas de prospecção do petróleo no offshore da Guiné-Bissau (Petroguin, da Guiné-Bissau, Premier Oil, da Grã-Bretanha, e as norte-americanas Oxidental Petroleum (Oxy) e Esterling, ambas sedeadas em Houston) terem agendado para Lisboa, no próximo dia 30, uma reunião para preparar o orçamento de operações futuras de prospecção.
E, entretanto, que interessante seria se os financiadores e os doadores começassem a vasculhar certas contas bancárias e como elas têm engrossado e não parecem ser contas do Estado…
Inicialmente publicado como "Manchete" no , sob o título "Ricos muito mais ricos, pobres bem mais pobres"

Blogue de Timor muda por problemas técnicos...

(Kudas, os cavalos timorenses; foto daqui)

Por vezes, acontece isto.
Segundo os autores do blogue “Timor Lorosae Nação”, devido a problemas técnicos, não devidamente explicáveis, este blogue teve de mudar de residência pelo que a partir de agora está, também ele e até que se definam as tais razões, no blogspot.
Por isso, e a pedido dos próprios que gostosamente retransmito, quem quiser ir ao TLN deve aceder aqui.
Que tenham sido só problemas técnicos e nada mais como discretamente o Página Um sugere…

Será que alguém me explica?

(calmos arredores de Luanda; foto ©JSPinto “Tonspi”)

"Alguém me explica como, e porquê, se:
De acordo com os números das principais empresas de rating e do grupo Banco Mundial, Angola apresenta níveis de crescimento consideráveis, os últimos números, para o biénio 2006-08, davam um crescimento na ordem dos 13% e a Ministra do Planeamento, Ana Dias Lourenço, afirma que o crescimento económico ao impacto das medidas económicas levadas e efeito pelo Governo, com destaque para o aumento dos serviços sociais à população, melhoria das infra-estruturas rodo e ferroviárias, ao incremento das infra-estruturas sanitárias e educacionais e à acalmia político-militar, então como justifica-se que:
1. a situação política, económica e militar em Cabinda se mantenha, como se mantém, com pessoas a serem detidas sem culpa formada; o Presidente a visitar uma das mais ricas – senão mesmo a mais rica – províncias angolana, Cabinda, sem um programa previamente difundido pelo público e com a presença de forças militarizadas que mais pareciam forças de ocupação que forças de intervenção;
2. a falta congénita de água em Luanda – e a guerra já acabou há 5 (CINCO) anos – leva indivíduos a assaltarem e destruírem um conduta de água que abastece bairros luandenses só para obter o “luxuoso” produto, normalmente obtido através de camiões-cisternas, essencial para a vida humana e para manter o saneamento básico dentro de níveis aceitáveis. E, depois, segundo se consta, na região de Luanda abunda um bi-minério “Coltan” (combinação dos minérios columbita e a tantalita, considerados mais valiosos que o ouro) que é muito utilizado no fabrico de naves espaciais, em armamento sofisticado e nos telemóveis – quem por lá parece “vaguear” é reconhecido como sendo quem mais os fabricam e a preços mais competitivos; são também dos principais importadores de petróleo e fornecedores de serviços e reparadores sem utilização de mão-de-obra angolana, ou muito pouca e mal paga, e onde “cobras engolem elefantes” … (...)" (continuar a ler aqui)
Artigo publicado n', edição 039, de hoje sob o título "O encosto à URSS levou o País à regressão"



15 agosto 2007

Afrobasquete 2007 arranca

(DDR)

E a partir de hoje e até o próximo dia 25 de Agosto começa o Afrobasket2007 em Angola que vai, uma vez mais, tentar conquistar o ceptro e fazer a “chapa 9” e ganhe o acesso a "Pequim2008".
Os 16 candidatos ao título estão distribuídos por 4 cidades: Benguela, Lubango, Luanda e Cabinda. E será no Lubango onde estarão alguns dos possíveis melhores confrontos já que se opõem antigos e recentes vencedores e podionistas da prova.
Que os homens de “Ginguba” não se fiquem por esta e por umas “Cucas” e ganhem o caneco; que abram já o livro no primeiro jogo com a “desconhecida” Ruanda.
Já agora uma boa prestação para os “mambas” (estão no grupo D, sedeado em Cabinda) e para os homens das “mornas” (estão incluídos no nosso grupo, o “A”, em Benguela).

Angola, eleições garantidas…

Segundo o recém-reeleito presidente da UNITA, Isaías Samakuva, que deve ter ido apresentar os seus cumprimentos de recém-empossado líder do maior partido da oposição – isto ser de uma Governo (GURN) e ser da oposição… ainda não consegui acolher satisfatoriamente, mas parece que na nossa Casa é assim – ao presidente Eduardo dos Santos, recebeu deste a garantia de que as eleições serão mesmo em 2008.
Só esperemos que entraves de última hora – a situação em Cabinda não é tão clara como se esperaria – não atrasem as ditas eleições.
Aquelas em que a Diáspora não poderá votar…

E a culpada dos "acidentes" é... as comunicações

(para alguns governos os comunicadores não podem... salvo se tiverem a sua chancela!; imagem daqui)

"As trocas de comunicações, em geral, sempre foram um incómodo para os Governantes, quer as mesmas sejam positivas quer, principalmente, se foram negativas.
E se as comunicações tiverem o epicentro na Comunicação Social aí, então, as comunicações deixam de ser um incómodo e passam a ser uma praga insuportável e candidata a vírus a eliminar.
Por isso não admira que o jornalismo seja a profissão onde mais “acidentes” ocorrem e onde os profissionais são mais facilmente “despedidos”, em particular, aqueles que estão nas zonas de combate ou exercem em regimes autocráticos e ditatoriais. Relembremos como foi “despedida” a repórter de investigação russa Anna Politkovskaya, alvejada a 7 de Outubro de 2006 no elevador do prédio onde residia em Moscovo, e que, até hoje, nunca foram oficialmente descobertos os autores materiais e morais do assassinato.
Só em 2006 morreram, no exercício das suas funções, 177 jornalistas, 155 dos quais assassinados, em 37 países; só por mórbida curiosidade os países mais despachantes foram as Filipinas (15 jornalistas mortos), o México (8), o Sri Lanka (7) e a Guiana (6); cerca de 56 foram raptados, houve 912 órgãos de comunicação censurados e 1472 jornalistas atacados ou ameaçados. E o ano de 2007 mostra que o calvário se mantém; até finais de Junho, já morreram cerca de 100 profissionais da Comunicação Social o que, segundo o Instituto Internacional para a Segurança da Imprensa (INSI), de Londres, nos últimos 10 (dez) anos morreram, em média, dois jornalistas por semana. (...)
" (continuar a ler aqui)
Artigo de opinião publicado no , edição 126, de 11-Agosto-2008, sob o título "Quando as comunicações atrapalham"

12 agosto 2007

Serra Leoa votou para a Paz

(Campanha do SLPP – o órgão oficial do Governo só mostra fotos do “poder”)

Ontem a Serra Leoa votou, pela primeira vez, desde que atingiu a Paz sob os indirectos auspícios da ONU, liderada por Victor Ângelo, o mais antigo funcionário português das Nações Unidas e seu ainda actual representante na Serra Leoa (UNIOSIL) – esta saiu oficialmente do País há cerca de 20 meses –. Foram as eleições para o Parlamento e para as presidenciais.
Às presidenciais concorrem 7 candidatos sendo os mais bem colocados, nas sondagens intermédias, o actual vice-presidente e proposto pelo presidente e líder do SLPP, Solomon Berewa, de 69 anos, Ernest Bai Koroma, um empresário de 54 anos que chefia o Congresso de Todo o Povo (APC), principal partido de oposição do país, Charles Francis Margai, um advogado e ex-ministro de 62 anos, líder do Movimento Popular para a Mudança Democrática (PMDC). Esperemos que quem substituir o ainda presidente Alhaji Ahmad Tejan Kabbah possa manter o País na rota da Paz e manter os diamantes, uma das suas principais riquezas, fora do signo do sangue porque 10 mil mortos em 10 anos de conflitos já chegam.
Para os 124 assentos do Parlamento – mas os cidadãos só elegem directamente 112 deputados – concorrem cerca de 560 candidatos distribuídos pelo Partido Popular de Serra Leoa (SLPP), actualmente no poder, pelo PMDC (criado há 15 meses como dissidência do SLPP), pelo APC, entre outros partidos de menor projecção.
As eleições e os resultados desta, que deverão sair até 17 de Agosto, bem assim o acolhimento das mesmas pela população e pelas forças políticas em confronto, poderão ser um espelho para os seus vizinhos politica e tecnicamente mais próximos como a Guiné-Bissau, o Níger e a Costa do Marfim. Esta foi, pelo menos, a ideia que Victor Ângelo deixou, e com alguma razão, transparecer.
E se nenhum dos candidatos presidenciais obter nesta primeira volta os necessários 55% haverá uma segunda entre os dois mais votados em Setembro.
Citado n'O Observador 037, de 14-Agosto-2007

10 agosto 2007

Angola e a exportação de petróleo

(foto Silva Pinto "Tonspi")
Segundo dados veiculados pelos diferentes órgão angolanos de informação, nomeadamente no "Jornal de Angola", Angola, em 2006 terá exportado petróleo no valor de - deixem-me respirar primeiro - 29 biliões, 928 milhões e 600 mil USDólares durante o ano de 2006, um significativo aumento de 32,5% em relação a 2005.
Relembremos 29 bilhões e alguns trocos.
Bom, se deixarmos 20 biliões para as despesas do Estado - reafirmo, despesas do Estado - para continuar o desenvolvimento do Pais, e se dividirmos os restantes 9 biliões e os trocos pela população de Angola - que terá entre de 10 a 12 milhões de pessoas - cada um dos angolanos deveria auferir algumas centenas de USDólares como resultado do seu contributo para as exportações do País.
Provavelmente seria coisa pouca mas que ajudaria a minorar muitas das dificuldades por que passam.
Mas como sou ingénuo e como milhões continuam a não saber o que é dinheiro, vamos continuar a olhar para a utopia e vamos lendo acusações do tipo "Figuras do Estado investem no estrangeiro". Utopias...

Salvaguardam-se os céus europeus ou

"Há cerca de um ano, a LAM, a companhia de bandeira moçambicana, viu o seu nome na lista negra das companhias de aviação a operarem sobre os céus europeus por não dar garantias de fiabilidade e idoneidade técnica para tal. Passado quase um ano, a companhia de bandeira angolana, TAAG, que por acaso comprou aviões novos à Boeing em vez de o fazer à eurocrata Airbus, foi penalizada com o mesmo destino: impedida de sobrevoar o espaço aéreo unitário europeu.
Há similitudes? Parece que não. Se no caso da LAM havia problemas técnicos que foram, atempadamente, solucionados e com ajuda europeia, no caso angolano parece haver interesses políticos e económicos, mais que técnicos ou de segurança, por detrás desta suspensão.
Por um lado a vontade da TAAG em preferir aviões norte-americanos da Boeing em vez dos europeus da Airbus o que, desde logo, inviabilizou um excelente contrato que os europeus desejavam e previam vir a acontecer. (...)
" (continuar a ler aqui)
Publicado n' 035, de hoje, com o título "Salvaguardam-se os céus europeus ou os interesses económicos?"