02 janeiro 2009

Os 50 anos da entrada do Exército 26 de Julho em Santiago de Cuba

(Fidel e Che numa imagem da Internet)

Que pena uma Grande Revolução conduzida, na altura, por grandes mestres revolucionários, se tenha degenerado numa Grande Ditadura, única e exclusivamente, “aturada e suportada” pelos EUA…

Uma Revolução criada para destruir o mito da “pessoa”, no caso o general Fulgêncio Baptista e seus muchachos, mas que não se tem renovado, bem pelo contrário, como se constata nos actuais chefes, onde o presidente, Raul Castro, tem 77 anos e a cúpula do Conselho de Estado, o órgão de Governo da ilha, apresenta uma média de idade superior a 71 anos…

Um Revolução que defendia a Liberdade dos Povos, dos Humildes, dos Cubanos, mas que tem inúmeros presos de delito de opinião (recordemos a “damas ou mães de branco”), jornalista e bloguistas presos ou sob vigilância e com acessos à internet condicionados…

Tal como Martin Luther King esperava para os Estados Unidos e que se tornou realidade com Obama, também eu espero que um dia a Liberdade glorifique a Revolução Cubana de 1959!

1 comentário:

Guilherme Freitas disse...

Cuba investiu muito na área social. A educação e a saúde da população cubana é excelente. Porém, o governo privou a população da liberdade de expressão, que nenhum ser humano pode ficar sem. Tomara que a chegada de Obama e saída de Fidel, faça Cuba se reerguer.