31 dezembro 2010

São Silvestre de Luanda fecha 2010 com chave etíope…

Com partida na Mutamba e chegada ao Estádio dos Coqueiros, num traçado de 10.000 metros e passagem por algumas das principais artérias luandense, e como era expectável, no último dia do ano, o etíope Haile Gebrsalassie venceu (e convenceu) a 55ª edição da corrida de fim de ano São Silvestre de Luanda, ao serviço do popular Kabuscorp do Palanca, ao fazer 28 minutos e 05 segundos (cronómetro oficial e novo recorde da prova), numa prova que teve como melhor angolano Avelino Dumbo (inicialmente a Angop deu Tiago Baptista como o melhor angolano).

Nos lugares imediatos ficaram o queniano Josphap Menjo, com 28 minutos e 34 segundos, e o etíope Bonsa Diba Direba, terminou em terceiro, com 28’e 37’’ (registe-se que este atleta tem somente 15 anos), à frente do campeão mundial dos 15 mil metros, o etíope Deriba Merga, com o tempo de 28’ e 48’’.

Em senhoras, de assinalar o domínio da argelina Belouniss Mohamed, seguida da moçambicana Hortência Domingos e da etíope Ehite Gebireyes. A melhor angolana foi Ernestina Paulino.

Fonte ANGOP
Publicado na secção Desporto do

Dilma e África

O segundo texto de Rildo Ferreira sobre Dilma Rousseff e as relações com África, texto escrito em Novembro passado:
.
Política externa de Dilma é a continuidade do presidente LULA

Por Rildo Ferreira [Rio de Janeiro, Brasil]

.

No programa de governo que o Partido dos Trabalhadores (PT) registrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a política externa a ser implementada pela presidenta eleita Dilma Rousseff é a continuidade do programa do atual presidente Luis Inácio LULA da Silva. No item titulado “Presença do Brasil no mundo” o programa ressalta valores “como o multilateralismo, a paz, o respeito aos Direitos Humanos, a democratização das relações internacionais e a solidariedade com os países pobres e em desenvolvimento” (PT).

.

Chama a atenção no programa a afirmativa de “fortalecimento da unidade latino-americana, às relações com África, à reforma das Nações Unidas e dos organismos multilaterais, e à construção de uma ordem econômica internacional mais justa e democrática”. Sob o governo do presidente LULA países africanos já foram beneficiados com o perdão de dívidas históricas[1] e o próprio presidente LULA defende que os países desenvolvidos perdoem todas as dívidas dos países africanos. Além disso, o Brasil tem dado aos países luso-africanos especial atenção e colaboração na transferência de tecnologias[2].

.

Segundo o programa de governo, Dilma Rousseff “empenhar-se-á na conclusão da Rodada de Doha, que favoreça os países pobres e em desenvolvimento e, no âmbito do G-20, na reforma já iniciada do FMI e do Banco Mundial, contribuindo para a aplicação de políticas anticíclicas que permitam a retomada do crescimento e, sobretudo, o combate ao desemprego no mundo” (PT).
.

Em artigo publicado do jornal britânico “Financial Times”, o presidente LULA disse que ao deixar o cargo de presidente da República Federativa do Brasil pretende “concentrar minha atenção sobre as iniciativas em benefício dos países da América Latina, Caribe e do continente africano” e que o “Brasil tem muita experiência que pode compartilhar. Nós não podemos ser uma ilha de prosperidade cercada por um mar de pobreza e injustiça social”.

.

LULA, entretanto, tem afirmado categoricamente que não participará do governo da presidenta eleita, mas esta deixou claro que sempre que for necessário baterá à sua porta. Espera-se que a política externa e as relações de solidariedade com os povos africanos continuem a ser emblemáticas no futuro governo. O Brasil pode e deve colaborar muito mais com os países africanos, sobretudo porque o presidente LULA deverá criar uma Fundação para estabelecer políticas de combate a miséria e de desenvolvimento da pessoa humana nos países em desenvolvimento.

.

Notas:

[1] O Brasil perdoou uma dívida de U$ 315 milhões de Moçambique em 2004; Cabo Verde foi beneficiado com o perdão de U$ 3,5 bilhões este ano.

[2] o Brasil estabeleceu relações de cooperação na área de agricultura através da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e o governo da Guiné Bissau este ano. E o O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) firmou uma parceria com a Direção Geral de Recursos Hídricos (DGRH) de Guiné-Bissau, com o objetivo de avaliar os dados de uso e ocupação do solo, disponibilidade e demandas de água e outros temas ambientais, socioeconômicos e de recursos hídricos subterrâneos de interesse.

Em reunião com representantes de 45 países africanos e 39 Ministros daquela região, além de Timor Leste, na qualidade de observador, bem como organismos multilaterais regionais e entidades da sociedade civil do Brasil e dos países africanos, o presidente LULA realizou, no Itamaraty, durante os dias 10 a 12 de maio corrente, o “Diálogo Brasil-África sobre Segurança Alimentar, Combate à Fome e Desenvolvimento Rural” onde propiciou-se propiciou uma discussão de temas e de propostas de cooperação entre o Brasil e a África no campo da agricultura e segurança alimentar.

Adeus Lula bem-vinda Dilma!

Brasil, no primeiro dia do ano de 2011 vai ver mudar de inquilino no Palácio do Planalto.

Depois de 2 mandatos consecutivos, Luís Inácio “Lula da Silva deixa, naturalmente, o seu assento presidencial e transmite-o a Dilma Rousseff, vencedora das eleições presidenciais de Novembro de 2010, sua “natural sucessora” dentro do PT, com cerca de 56% dos votos contra os cerca de 44% obtidos por José Serra, do PSDB.


Para este facto solicitei ao jornalista e bloguista Rildo Ferreira uma opinião sobre a nova presidente (e não presidenta como gosta de se intitular porque em português todos os verbos que definam “acção”, como presidir, por exemplo, derivam em particípios activos com os sufixos “ante”,”ente” ou “inte”; logo, presidir dá presidente!) bem assim como se posicionará face a África.


Ficam aqui, pois, os dois textos de Rildo Ferreira!

.

Descendente de Búlgaros é eleita a primeira mulher presidenta da República Federativa do Brasil

Por Rildo Ferreira [Rio de Janeiro, Brasil]


Filha de Pedro Rousseff e da carioca(1) Dilma Jane, Dilma Rousseff nasceu em Belo Horizonte (MG) no dia 14 de dezembro de 1947. Na juventude, a vida da nova presidenta do Brasil ficou marcada pela militância contra a ditadura atuando no movimento estudantil, e chegou a ser presa e torturada.


Em 1973, deixa a prisão e se muda para Porto Alegre, capital do Estado do Rio Grande do Sul, onde estava preso o marido Carlos Araújo, também militante contra a ditadura.


Cursou Economia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e, no Rio Grande do Sul, ajuda na fundação do Partido Democrático Trabalhista (PDT). Em 1986, foi secretária de Fazenda da prefeitura de Porto Alegre e secretária estadual de Minas, Energia e Comunicações do Estado gaúcho. Em 2000, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT), legenda que lhe garantiu o direito de concorrer e ser eleita a primeira presidenta da República Federativa do Brasil com 56,05% dos votos válidos (55.744.942 votos).


O atual presidente Luis Inácio LULA da Silva a conheceu por intermédio do então governador do Rio Grande do Sul Olívio Dutra (PT-RS) e ficou impressionado como a secretária de Minas, Energia e Comunicação daquele Estado driblou o apagão energético ocorrido em 2001, durante o governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso, garantindo aos gaúchos energia suficiente para não se submeter ao racionamento proposto pelo governo federal.


O Presidente LULA a convidou para assumir o Ministério de Minas e Energia da União com um orçamento de R$ 20 bilhões. Em seguida, assumiu a chefia da Casa Civil e um orçamento anual de R$ 540 bilhões e a responsabilidade de conduzir o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) com obras importantes de infra estrutura, recuperação da indústria naval e o maior programa de habitação já realizado no país. Em março deste ano, coube a Dilma Rousseff anunciar o PAC-2, um conjunto de projetos para os próximos quatro anos e um orçamento de R$ 1 trilhão, recursos que serão garantidos com a descoberta de uma grande reserva de Petróleo na camada do préssal.


Para chegar à condição de primeira presidenta do Brasil, Dilma Rousseff superou preconceitos:


- porque era mulher e chegou a ser questionada pela oposição se teria condições de dar conta aos problemas que o país tenta superar.

- porque em 2009 teve que se submeter a uma cirurgia para a retirada de um tumor na axila direita. O tratamento quimioterápico a levou a perder pelos obrigando-a a usar uma peruca por um longo período. Então a oposição questiona a saúde da candidata Dilma Rousseff, mesmo tendo a equipe médica divulgado um laudo conclusivo dizendo que Dilma estava “livre de qualquer evidência de linfoma”.

- porque é filha de Búlgaros. A oposição usou do expediente mais odioso e usou a manipulação para tentar fraudar a vontade do eleitorado. Numa montagem profissional falseou uma reportagem húngara para afirmar que Dilma não tinha naturalidade brasileira.

- por ter lutado contra a ditadura a imprensa brasileira, de voto declarado na oposição, falseia uma ficha policial dos tempos da ditadura para afirmar que a candidata petista tinha sido uma guerrilheira com relações amiúdes com o narcotráfico e com as FARC, Força Armada Revolucionária da Colômbia.

- porque declarou que era contra a criminalização do aborto, embora não aprovasse o ato abortivo, a oposição se valeu da afirmação da candidata para instigar o ódio e o preconceito religioso. A esposa do candidato da oposição, dona Monica Serra, chegou a afirmar em via pública que Dilma era “a favor de matar criancinhas”.


Mas nem tudo foram pedras no caminho da candidata petista. Seu principal cabo eleitoral foi o presidente LULA que tem a aprovação popular com índices que superam os 80 pontos em todas as pesquisas realizadas. O bom momento econômico que o país vive também foi decisivo. As pessoas querem a continuidade do que está dando certo.


Sob o governo do presidente LULA, 28 milhões de pessoas deixaram a extrema pobreza, graças ao maior programa de distribuição de renda já realizado no país: o Bolsa-Família. O programa oferece uma ajuda em dinheiro para as famílias com renda per-capita de R$ 90. Os beneficiários tem a obrigação de levar crianças menores de 7 anos regularmente para o atendimento médico e obrigando aos que tiverem idade a freqüentarem a escola com presença de, no mínimo, de 75% do ano letivo.


Outros 32 milhões de pessoas passaram a ocupar a classe média brasileira. O consumo interno aumentou; facilitou-se o crédito para os mais pobres e o que é mais importante: criou-se cerca de 15 milhões de novos empregos com carteira assinada. O programa Luz para todos levou energia elétrica para o campo beneficiando cerca de 3 milhões de pequenos agricultores. O desmatamento da Amazônia reduziu de 47 milhões de hectares ano, para cerca de 17 milhões de hectares ano. Está em andamento o maior programa habitacional já implementado pelo governo federal: o programa Minha Casa, Minha Vida. Neste programa, o governo federal garante 23 mil reais para a compra da casa própria para quem ganha até 3 salários mínimos.


O presidente LULA que jamais negou ter sido escolarizado com apenas 4 anos de estudo foi o presidente que mais investiu na educação dos brasileiros e brasileiras. Foram 14 universidades construídas e muitos outros campus avançados. Até o final do ano serão 214 escolas técnicas em todo o país. O Programa Universidade Para Todos (ProUni) garante a todos e todas o acesso ao ensino universitário quando o pretendente não consegue vaga nas universidade públicas e já beneficiou 700 mil estudantes. Neste caso, o governo garante bolsas de estudos de 50% do valor da mensalidade, ou Integral, de acordo com a renda familiar, para que o aluno possa estudar numa universidade privada.


Tudo isso foi determinante para que a maioria da população tivesse o desejo de continuidade de um governo popular e democrático. José Serra (PSDB-SP), o oponente de Dilma Rousseff, embora dissesse garantir a continuidade dos programas do governo LULA, seus principais assessores declaravam mudanças na economia e nos programas sociais. A própria dona Monica Serra, esposa do candidato da oposição, chamou o Bolsa Família de bolsa-esmola. Seus aliados diziam que o Bolsa Família criava vagabundos e, portanto, deveria ser extinto. O partido aliado do candidato tucano, o DEM, que indicou o candidato a vice presidente na chapa, entrou no Supremo Tribunal Federal (STF) com um pedido de inconstitucionalidade do Programa Universidade Para Todos.


Essas ações conjugadas com declarações contundentes deixavam dúvidas sobre o compromisso do candidato da oposição em manter os programas sociais implantados pelo presidente LULA.


A 31 de outubro, 106.593.365(2) foram às urnas e deram à Dilma Rousseff 55.744.942 votos (56,05%) contra 43.707.036 votos (43,95%) do candidato José Serra. Às 20 horas e 17 minutos, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Ricardo Lewandowsky anunciou que matematicamente Dilma Rousseff estava eleita presidenta do Brasil.


A eleição transcorreu normalmente e foram poucas as urnas eletrônicas a serem substituídas. Cada eleitor demorou aproximadamente 30 segundos na seção eleitoral para votar no seu candidato. 686 urnas eletrônicas tiveram de ser substituídas em todo o país até por volta das 10h30 (horário de Brasília), o que representa 0,171% das urnas do país.


Como comparação, em todo o dia de votações no primeiro turno, no último dia 3, 2.244 urnas tiveram de ser substituídas por problemas técnicos, o equivalente a 0,56 por cento dos equipamentos de todo o país.


Foram registradas, ainda, 34 ocorrências de crime eleitoral neste domingo, sendo que 13 delas resultaram em prisões, de acordo com o boletim do TSE (Reuters).


Petistas e simpatizantes da candidatura Dilma foram às ruas com bandeiras e buzinas para comemorar a eleição da primeira mulher presidenta do Brasil. Com este advento, o Brasil se torna uma das maiores democracias do mundo. Em seu primeiro discurso como presidenta, Dilma disse que vai honrar todas as mulheres brasileiras; que conversará com todos os brasileiros e brasileiras; que governará com responsabilidade e justiça: Não podemos descansar enquanto houver brasileiros com fome, enquanto houver famílias morando nas ruas, enquanto crianças pobres estiverem abandonadas à própria sorte. A erradicação da miséria nos próximos anos é, assim, uma meta que assumo, mas para a qual peço humildemente o apoio de todos que possam ajudar o país no trabalho de superar esse abismo que ainda nos separa de ser uma nação desenvolvida.” Disse.


Na primeira viagem depois de eleita, Dilma estava previsto acompanhar o presidente LULA numa viagem à Coreia do Sul para o encontro do G20 em Seul com passagem por Maputo, em Moçambique, na África, onde LULA vai conhecer o local onde será instalada uma fábrica de medicamentos antirretrovirais, para tratamento da AIDS, a ser administrada pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) (3).


Notas:

1 Termo atribuído aos nascidos no Estado do Rio de Janeiro.

2 Dados de 99,98% das urnas apuradas. A apuração não tinha sido totalizada no fechamento do artigo.

3 O texto foi escrito ainda em inícios de Novembro.

29 dezembro 2010

Atentado ou simples boato?

Quem terá sido o estadista africano, há muitos anos no poder, que, eventualmente, terá sido alvo de um hipotético atentado no início do último trimestre deste ano.


Se quer saber mais – mas sempre sob totais reservas – pode ir aqui ou aqui.


Não há dúvidas que o ano de 2010 parece ter sido bem aziago

As eleições não são só em 2012?

Quem ler os diferentes portais noticiosos de Angola ou os jornais parece que as eleições vão ocorrer já nos próximos meses e não, como será expectável – mas já se ouve uns zum-zuns que não o será – em 2012.

Isto porque em menos de uma semana ocorreram várias inaugurações, algumas das quis importantes para as urbes e zonas onde ocorreram.
No Lobito foi reinaugurada, após cerca de 2 anos de obras, a avenida Sócrates Daskalos (poeta benguelense e antigo governador da província) ex-Norton de Matos e que liga a Caponte à estrada Lobito-Benguela, bem assim, a avenida Correia Victor que liga o bairro do Africano e atinge o terminal Oceânico da Sonangol que servirá para o escoamento do tráfico pesado a partir da fábrica de cimento e do futuro terminal de minério do Porto do Lobito.
Em Luanda foi entregue à população a via-férrea entre a capital e Malange, com passagem por Ndalatando, 18 anos depois da sua inoperacionalidade, devido ao conflito armada que opôs irmãos desavindos. O Caminho de Ferro de Luanda (CFL) saiu de manhã de Luanda e chegou ao meio da tarde a Malange depois de percorrer os 424 km da sua extensão na sua primeira viagem inaugural. O início oficial das viagem do “pouca-terra” começará a 13 de Janeiro próximo.
Ainda em Malange a reestruturação e recuperação do aeroporto foi concluída após 2 anos de obras de beneficiação e a cidade passa a receber normalmente os voos da TAAG – se não houver mais alguma aeronave em manutenção forçada – já a partir de 5 de Janeiro sendo ponto intermédio entre Luanda e Saurimo.
No Uige, a barragem hidroeléctrica de Capanda, situada na vizinha província de Malange, começou, desde a passada segunda-feira, a fornecer luz à cidade capital do café. Um empreendimento que alguns chamaram de prenda de Natal.
Ou seja, o desenvolvimento de Angola está em força mas, parece que está subjacente uma ideia de eleições a breve prazo…

24 dezembro 2010

Boas Festas

(trecho do poema "A Minha Árvore de Natal" que pode ser lido, na íntegra, aqui)

Aos amigos leitores votos sinceros de Boas Festas e de uma boa noite de família!

22 dezembro 2010

Uma boa prenda de Natal

O Tribunal Constitucional angolano decretou inconstitucional a detenção dos activistas de Direitos Humanos, em Cabinda, alegadamente ligados ao absurdo e incompreensível atentado ao machimbombo que transportava os jogadores do Togo, pelo CAN2010, devolvendo-os à liberdade.

Embora tardia, até porque alguns estão debilitados, não deixa de ser uma boa prenda natalícia e, além de tudo, uma amostra do que se quer da Justiça: que ela seja independente do poder político e acima de todas as eventuais suspeitas.

Saúda-se, pois, a atitude frontal e ousada dos juízes angolanos!

Angola na crise ivoirense

"A Costa do Marfim (ou Cote d’ Ivoire como querem ser reconhecidos internacionalmente) foi a eleições presidenciais no passado mês de Novembro. Entre os candidatos realçavam-se Laurent Gbagbo, presidente em exercício, e Alessane Ouattara, antigo primeiro-ministro, que foram à 2ª volta.

Até aqui nada seria de estranhar nem de realçar. Nada seria se no pós-eleitoral não tivessem ocorrido estranhos acontecimentos com os resultados.

Comissão Eleitoral Independente ivoirense proclamou Ouattara como o vencedor mas o Supremo Tribunal do país anulou e declarou Gbagbo como o presidente (re)eleito. Ora como ambos se arrogam de vencedores e não querem perder esse estatuto, apesar da comunidade internacional reconhecer Ouattara como vencedor, o ainda presidente e seus acólitos não aceitam esta “intervenção” e já exigira que a ONU e as forças militares francesas abandonem o antigo entreposto de escravos.

Pois é aqui que reside o actual problema político da Costa do Marfim que poderá incendiar e avançar com uma crise político-militar na região do Golfo. Não podemos esquecer que foram os militares franceses que ao longo destes últimos anos apoiaram e sustentaram Gbagbo no poder. E não são poucas centenas dos franceses que estão estacionados em território ivoirense. (...)" (continuar a ler aqui ou aqui)

Publicado no Perspectiva Lusófona, de 21.Dez.2010, secção "Angola" e retranscrito no Angola 24Horas

20 dezembro 2010

As presidenciais portuguesas

"Começou a corrida para as presidenciais portuguesas no próximo mês de Janeiro. Até agora perfilaram-se cinco candidatos, dois deles já repetentes, o presidente em exercício Cavaco Silva e o candidato socialista/bloquista Manuel Alegre, um de naturalidade angolana – creio que de Cabinda –, o fundador da AMI, Fernando Nobre, e outros dois, meros “estranhos”, para unicamente aproveitarem tempo de antena e fazerem campanha para o partido que o apoia, no caso do candidato comunista, Francisco Lopes, e o outro, Defensor de Moura, que mais parece estar para, unicamente, se auto-promover dentro do seu próprio partido que, por sinal e tal como na campanha anterior, apoia outro.

Começou a campanha – mais correctamente a pré-campanha – quer nos chamados “outdoors” quer já na televisão. É certo que não estou minimamente virado para as presidenciais. Não sou monárquico mas também não me revejo neste tipo de campanha eleitoral.

Para mim só as autárquicas merecem acompanhamento e votação porque são as únicas em que realmente “intervimos” como eleitores porque são as únicas onde, realmente, sabemos quem votamos e não em nomes estereotipados lançados pelos partidos apesar disso acontecer nos principais centros eleitorais.

Mas, ainda assim, como analista e mera curiosidade tenho assistido a um ou outro debate televisivo – desculpem se me enganei – e às declarações de intenções dos candidatos já formalmente apresentados. (...)" (continuar a ler aqui ou aqui).
Publicado como Manchete do , de hoje

17 dezembro 2010

O Conselho do Golfo e a projecção da emergente potência regional

"Descreve-se, normalmente, como potência regional um País ou um Estado com poder e influência que permita ter um determinado controlo estratégico sobre sua região geográfica. Algumas potências caracterizam-se por ter poder económico, ou poder político, ou diplomático, ou poder militar e, ou, finalmente, pela junção de duas ou mais destas características projectáveis.

Todavia, há ainda quem confunda potência regional com potências intermédias. Para os segundos a sua projecção limita-se à exclusiva área geográfica que lhe é confinante. Para os multirregionalistas, as potências regionais, como afirmava Huntington, podem ser grandes potências em escala global, simultaneamente com algumas suas filiações no contexto regional.

Mas para ser uma potência regional, a um Estado não basta ter algumas ou todas as características apontadas no início se não tiver, igualmente, uma extensão territorial justificável, dimensão populacional, os recursos naturais disponíveis – estes três itens nem sempre são condição sine qua non conforme foi possível verificar na Crise dos Grandes Lagos –, o nível de desenvolvimento humano e social, a diversificação do parque industrial, o produto interno bruto e uma interessante e diversificada máquina de guerra.

Se estes são factores para que um Estado, e desde que esteja realmente implantado e firmado como Estado, possa vir ser considerado uma potência intermédia ou regional, creio que Angola surge aos olhos da comunidade africana e internacional como uma das mais emergentes potências regionais africanas reflectindo para o exterior uma projecção político-diplomática, nuns casos, e militar, em outros, não menos evidentes.

A prova disso vamos encontrar tanto na região Centro-africana onde melhor reflecte, estrategicamente, uma projecção epiro-regional, a zona do Golfo da Guiné e da Comunidade dos Estados de África Central (CEAC), como, de forma não menos inteligente, na região Afro-austral, ou seja na SADC. (...)
" (continuar a ler aqui ou aqui)

Publicado na secção "Angola" do blogue informativo "Perspectiva Lusófona", de 16/Dez./2010

14 dezembro 2010

Jornalista lusófono censurado na África do Sul?

De acordo com um artigo hoje publicado na sua rubrica Alto Hama, no Notícias Lusófonas, o jornalista angolano-português Orlando castro terá sido, eventualmente, censurado num órgão de informação sul-africana.


Digo, eventualmente, porque ainda quero acreditar que tudo não passou de uma gralha do jornal sul-africano Mail and Guardian na não publicação, ou, então, que a sua jornalista, Louise Redvers, se enganou no endereço da secção para onde deveria dirigir a publicação da entrevista.


É que ninguém quer acreditar que as boas relações políticas relançadas ainda recentemente entre Luanda e Pretória sejam suficientes para que um órgão informativo e independente de um outro país sejam suficientes para que haja uma clara violação da liberdade de escrita e de pensamento, mesmo que este seja contrário ao que eu defendo!


Recordemos que é na diversidade e no contraditório que está a beleza do contraste das opiniões!

11 dezembro 2010

Portugal aplica acordo (ortográfico) em 2011

"Segundo o Ministério da Educação português, a nova ortografia saída do Acordo ortográfico vai começar a ser aplicado a todo o ensino lusitano a partir do ano lectivo de 2011/2012.

Até aqui nada de novo, a não ser o velho e proverbial método português de fazer as coisas tardes e a muito más horas. Só assim se explica que comecem a aplicá-lo, intempestivamente, diria, não no início do ensino obrigatório, mas logo a todos os graus deste ensino.


Como irão as crianças apreender as novas palavras depois de quase lhes terem “enfiado”, quase à pressão, como é habitual, as normas antigas de escrita?


Como vão explicar às crianças que agora não devem escrever que “a humidade é má para os metais e para os pára-choques e os factos e as acções penalizadas quando incorrectas” mas que devem escrever que “a umidade é má para os metais e para os párachoques e os fatos e as ações penalizadas quando incorretas”?(...)" (continuar a ler aqui ou aqui)

Publicabo no , de hoje

09 dezembro 2010

Moçambique no WikiLeaks

(foto da Internet)
"Em considerações que há dias escrevi [ver aqui], a publicar em breve, “reclamava” que a WikiLeaks, salvo um pequeno telegrama sobre Cabo Verde, ainda, e estranhamente, não tinha mostrado qualquer documento relacionado com os restantes países da África lusófona, em particular dado a sua importância na região em que se insere, Angola.

Pois eis que, e só de uma vez, Moçambique passa a figura central da WikiLeaks e logo com 4 documentos (09MAPUTO713. 09MAPUTO1291, 10MAPUTO80 e 10MAPUTO86), três deles referentes ao narcotráfico e um a eventuais comissões que uma alta personalidade teria auferido com o negócio de Cahora Bassa.

De acordo com um dos telegramas enviados pela embaixada norte-americana, em Maputo, esta considera Moçambique como a segunda plataforma mais importante de África, a seguir à Guiné-Bissau (outro a ser referido) no tráfico de drogas.

O referido telegrama denuncia, claramente, que há personalidades (e cita nomes) que auferem muito dinheiro com o narcotráfico, bem assim importantes instituições nacionais e políticas, nomeadamente, o partido no poder. (...)" (continuar a ler aqui ou aqui)

Publicado no , secção "Colunistas" de hoje

O que a Wikileaks ainda não mostrou…

"O portal (ou os vários portais) da Wikileaks tem tornado público, como é do conhecimento global, um número inusitado de documentos confidenciais da política externa norte-americana. A maioria pertence a zonas sensíveis para a política externa das sucessivas administrações de Washington, nomeadamente, Europa, China, Médio Oriente e Brasil.


Mas o que até ao momento a Wikileaks ainda não mostrou, salvo uma referência ligeira e natural a Cabo Verde por causa da visita que a Secretária de Estado, HillaryClinton, fez ao arquipélago em 2009, foi nada sobre os países afro-lusófonos, nomeadamente, e por todas as razões, entre elas o facto de ser só o 6º fornecedor de crude aos EUA e ser uma plataforma importante no Golfo da Guiné, qualquer referência a Angola.


Mas também ainda não se sabe nada de Guiné-Bissau, apesar de alguns dos seus dirigentes serem acusados de tráfico de droga e o país estar conectado como uma plataforma logística para o transporte de droga entre a América Latina e África ou entre aqueles e a Europa; nem sobre São Tomé e Príncipe, onde os norte-americanos ponderaram colocar uma base naval, semelhante a de Diego Garcia, e onde eventualmente ficaria estacionada a AFRICOM, além de manterem uma estação de radar na ilha do Príncipe; nem sobre Moçambique, principalmente pelo facto de ser uma das portas mais importantes para o Zimbabué com quem os norte-americanos e os europeus mantém um “simpático” litígio de opiniões; nem, tão-pouco, sobre Timor-leste e a sua posição geoestratégica na sensível zona da Indonésia nem sobre a questão do petróleo timorense e Austrália. (...)" (continuar a ler aqui ou aqui)


Publicado no portal "Perspectiva Lusófona" de hoje

07 dezembro 2010

Negócios dos petrodólares no Futebol?

"A FIFA, no alto das suas naturais e compreensivas competências determinou que os Mundiais de futebol de 2018 e 2022 fossem atribuídos, respectivamente, à Federação russa e ao Qatar, preterindo, em especial, as candidaturas ibéria e britânica, para o de 2018, e norte-americana e australiana para o de 2022.

Nada mais legítimo, salvo se… Pois aqui é que entram as inúmeras dúvidas.

Primeiro as divulgações da imprensa britânica de que havia corrupção no seio da FIFA e que haveria conluio entre uma das candidaturas a 2018 e outra de 2022. Segundo a FIFA isso não foi provado mas o certo é que três dos seus executivos foram afastados.

Mais tarde, já depois do anúncio da atribuição dos Mundiais o presidente da federação inglesa de futebol deu entender que os russos já saberiam que iriam ser os vencedores e que alguns executivos da FIFA teriam anunciado o seu voto aos britânicos, um dos quais cerca de uma hora antes da votação, e depois constataram de numa primeira volta só teriam 4 votos e na segunda rodada desceriam para 2 únicos votos, um dos quais do representante britânico.

Agora veio a terreiro um antigo presidente da federação russa de futebol dizer que Putin, actual primeiro-ministro russo, fartou-se de contactar os diferentes membros e países para obter o respectivo apoio na votação.
" (continuar a ler aqui ou aqui)

Publicado no , de hoje, na coluna "Malambas do Kamutangre"

06 dezembro 2010

TAAG em puzzle?

Segundo as agências noticiosas e televisões a cidade de Almada terá sido hoje palco de sementeira de peças que terão sido projectadas de um avião da TAAG que teria descolado momentos antes do aeroporto da Portela, em Lisboa.

Pedaços de avião caíram em vários pontos de Almada (JN)

Pequenos pedaços metálicos de um avião que sobrevoou Almada durante a manhã de hoje, segunda-feira, caíram em alguns pontos da cidade sem causar feridos, disse fonte dos bombeiros voluntários locais, adiantando que o aparelho já aterrou no aeroporto de Lisboa.”

Dado que os aviões da TAAG que “circulam” nos céus europeus são, em princípio, novos é de crer que a Boeing, empresa que os forneceu, não deverá estar muito bem vista. Ou será que voltamos aos tempos dos “frendship/fokker” e “dakotas” da antiga DTA que estavam todos “aparafusados” com fios?

Espero bem que tenha sido só um pequeno percalço na manutenção e sem grande impacto excepto, como anuncia a SIC, os 10carros destruídos e os dois feridos ligeiros.

Texto citado no portal Global Voices, em português e inglês

29 novembro 2010

Lobito regressa ao Girabola

A província de Benguela regressa de novo ao mapa do Girabola e com duas formações.


Depois do apuramento directo do 1º de Maio, de Benguela, através do apuramento directo já que venceu a sua zona da Segundona, este fim-de-semana a Académica do Lobito, liderada por antigo treinador dos Palancas Negras, Agostinho Tramagal, reentrou no convívio dos grandes ao bater o Domant FC do Bengo, de Bula Atumba, província do Bengo, por 2-1 na segunda mão da fase de apuramento.


Entretanto já ocorreu o sorteio para o Campeonato Africano de Nações para atletas que jogam em África, o CHAN, que vai ocorrer em Fevereiro de 2011 no Sudão. Angola ficou no grupo D com o Ruanda, Senegal e Tunísia.


Os restantes três grupos juntaram Sudão, Argélia, Gabão e Uganda, no grupo A; Ghana, África do Sul, Níger e Zimbabwe, no grupo B; e R.D.Congo, campeã em título, Camarões, Cote d’Ivoire e Mali, no grupo C.

21 novembro 2010

Fim-de-semana desportivo gordo para lobitangas

(salinas do Lobito)

Apesar do saldo final se ficar por um empate e uma derrota, a cidade dos flamingos (onde é que eles param?) teve um fim-de-semana desportivo interessante.

No futebol, a Académica do Lobito foi empatar no Bengo com Demant FC a uma bola para a primeira-mão do apuramento da terceira equipa a subir ao Girabola. Para subir a equipa lobitanga tem de vencer a próxima jornada porque em caso de novo empate terão de ir à marca das grandes penalidades.

Em andebol e a contar para as meias-finais da Taça de Angola, em femininos, a equipa Electro do Lobito baqueou perante o Petro de Luanda, actuais detentoras do título nacional, por 21-30. De notar que a final oporá as “petrolíferas” às senhoras do 1º de Agosto que afastaram o ASA por 28-23.

MIREX com novo “patrão” e há novo GPL

(foto Club-k)

George Rebelo Chicoty, até agora Secretário de Estado das Relações Exteriores, ascendeu um grande degrau ao ser foi nomeado para o cargo de Ministro da mesma pasta em substituição do embaixador Assunção dos Anjos que terá solicitado a sua resignação por "razões pessoais absolutamente atendíveis", conforme noticiou, ontem, a agência PANAPRESS, citando a ANGOP.


George Chicoty tornou-se mais conhecido depois de ter participado nas reuniões para a estabilização de “compromissos” após as recentes movimentações na Guiné-Bissau.


De notar, que uma vez mais, Eduardo dos Santos pôs ao seu lado e num cargo de máxima confiança um antigo membro da UNITA, tendo sido um dos mais fortes lobistas do movimento na África Oriental, e fundador do Fórum Democrático Angolano que agrupou, entre outros, antigos membros e militantes da UNITA que questionavam a democraticidade interna; todavia, a sua ascendência paterna aconteceu na antiga UPA. O pai, Mateus Chikoty(i), foi um membro destacado no movimento que antecedeu a FNLA, tendo sido representante daquele movimento na antiga Elizabethville, a actual Kinshasa, e fez parte dos primeiros líderes da UNITA.


Note-se que houve alterações no executivo e no governo provincial de Luanda (GPL). Segundo aquela agência o ministro do Urbanismo e Construção, José dos Santos Silva Ferreira, terá sido substituído por Urbanismo e Construção, José dos Santos Silva Ferreira, e a governadora provincial de Luanda (capital), Francisca do Espírito Santo., um quadro da Sonangol, e a governadora Francisca do Espírito Santo substituída no cargo por José Maria dos Santos , até agora vice-governador da província do Kuando-Kubango.

19 novembro 2010

Cuca vai para matar sede nos países vizinhos…

De acordo com uma notícia da agência noticiosa portuguesa LUSA e citada pelo Angonotícias a cerveja Cuca vai passar a ser comercializada nos países limítrofes de Angola.


Óptima notícia patra que Angola não continue a estar só dependente das exportações dos hidrocarnonetos e dos diamantes...


Mas, já agora, quando é que vamos ter também direito ao prazerde beber umas Cucazinhas, bem fresquinhas, nas esplanadas europeias?


A Diáspora agradecer-vos-ia...

A nova guerra-civil…

(foto Sapo.ao)

Recordo que ainda há pouco tempo escrevi para o portal “Zwela Angola” um artigo intitulado “Acidentes, a nova guerra-civil?” precisamente sobre esta matéria.

O artigo publicado em Março já se referia a uma nota doo Jorna de Angola que lamentava que em dois meses já tivessem ocorrido cerca de 2000 acidentes com um saldo claramente negativo de 450 mortes.

Desde essa altura até agora, e apesar das tentativas e dos avisos das autoridades, nada parece ter demovido os “aceleras” do meu país que continuam a manifestar um profundo desprezo pela sua vida e, mais grave ainda, pela dos outros.

Uma vez mais digo que é necessário mais mão forte das autoridades e penalizar fortemente os seguros – que agora, felizmente, já são obrigatórios – aos imbecis que acham que as estradas (apesar de tudo vão melhorando na qualidade) são só deles.

Paremos com esta guerra-civil antes que ela nos pare a nós!

16 novembro 2010

Uff já está!!!!

Depois de falhar à primeira por razões de saúde, hoje foi o dia D com a grata classificação final de “Aprovado por unanimidade”.


PhD já cá canta…

11 novembro 2010

Taça de Angola: «aviadores» derrubam «polícias»

O ASA, Atlético Sport Aviação, conhecidos pelos “aviadores”, comandados por José Diniz, ganhou a Taça de Angola, em futebol, impedindo o Interclube, liderado por Álvaro Magalhães, de fazer a chamada “dobradinha”.

Numa partida que começou cerca de 30 minutos atrasada, provavelmente por causa das altas individualidades, acabou na marcação de grandes penalidades com o melhor desempenho dos aviadores que converteram 4 das 6 tentativas enquanto os “polícias” só conseguiram converter 3.

Ao fim dos 120 minutos havia uma igualdade a zero bolas e só uma oportunidade clara, no último minuto e por parte do ASA.

E por falar em individualidades, como é possível que o protocolo tenha permitido que as três mais altas figuras do Estado – Presidente, Vice-presidente e presidente da Assembleia Nacional – estivessem no mesmo local e juntos; felizmente que Angola não tem a cultura dos atentados, caso contrário…
Inicialmente publicado na secção "Desporto" do

Angola 35 anos de independência

Porque hoje é 11 de Novembro, feriado nacional ficar-me-ei por aquele que considero ser o meu segundo hino, na inconfundível voz do Duo Ouro Negro…

04 novembro 2010

Foi há 54 anos…

(Estátua do flamingo à entrada da Caponte, Lobito)

… Que um tipo nascia na cidade do Lobito e que alguns sectores mais ortodoxos do partido do poder angolano, bem assim alguns pretensos oposicionistas, dizem que chateia para burro;


… Que Budapeste (Hungria para quem não souber) foi invadida pelas forças soviéticas do então (futuro) Pacto de Varsóvia para restaurar a “legitimidade” do sistema, o qual iria ser consumado a 11 de Novembro.

31 outubro 2010

Imbecilidade ou... Sem comentários?

"«... Viagens ao Lubango (província de Benguela) e a Lobito (província da Huila)»

Um texto da agência portuguesa de informação LUSA a propósito de uma visita de Cavaco Silva a Angola e citado no Notícias Lusófonas"


Foi preciso quase 54 anos para afinal perceber que sou um chicoronho. Só não sabia que o Atlântico já ia tão dentro de Angola… Irra!!!!!!

Girabola, Interclube é campeão 2010

O Interclube de Luanda, equipa liderada pelo antigo jogador e treinador-adjunto do S.L.Benfica, Alvaro Magalhães, ganhou o Campeonato angolano de clubes, vulgo Girabola, de 2010 com 55 pontos, à frente do recreativo da Cáala, com os mesmos pontos mas com menor diferença de golos marcados/sofridos que os “polícias”.

Ao Interclube bastava-lhe um empate na última jornada para se sagrar campeão pela segunda vez na sua história. E foi isso que aconteceu. Uma partida que a partir da segunda metade da etapa complementar deixou de existir dado que tanto para o Interclube como para o Santos FC o empate chegava para as suas aspirações. Ao Interclube dava o Girabola e o Santos mantinha-se na principal Liga de Futebl de Angola.

A classificação final ficou assim ordenada: Inteclube, Recreativo da Caála, Desportivo 1º de Agosto, Atlético Petróleos de Luanda (Petro), Recreativo do Libolo, Atlético Sport Aviação (ASA), F.C. Bravos do Maquis, Kabuskorp do Palanca, Académico do Soyo, Sport Luanda e Benfica, F.C. Cabinda, Sagrada Esperança, Santos F.C., Desportivo da Huíla, Sporting de Cabinda e Benfica do Lubango.

As três últimas equipas, duas delas da província do Huíla, descem de divisão e sobem o Progresso de Sambizanga, de Luanda, e o 1º de Maio (primeiro campeão de Angola independente) ao Girabola, depois de terem vencido as suas zonas na Segundona. Falta disputar uma liguilha entre os segundos classificados zonais para descobrir a terceira equipa que sobe ao Girabola.
Publicado na secção de Desporto do , de hoje

26 outubro 2010

Transparência Internacional e a Corrupção em 2010

Uma vez mais, e infelizmente, Angola ocupa os lugares cimeiros entre os países considerados mais corruptos (o 11º mais corrupto com 1,9 pontos – sendo 10 pontos para os sem corrupção e 0 pontos para os totalmente corruptos) entre os 178 países analisados pela ONG International Ttransparency.


Apesar de manter o mesmo valor percentual que no ano anterior, Angola caiu várias posições pela melhoria verificada em outros países.


Ainda assim, uma verdade é indesmentível. Ao contrário de outros que negam ou parecem negar a sua existência, como um que se encontre entre os 30ª, Angola, mal ou bem, reconhece que esse é um dos seus maiores cancros.


Já agora assinale-se as pontuações dos restantes países lusófonos: Brasil manteve os 3,7 pontos embora melhorando a sua posição, Cabo Verde manteve os 5,1 pontos, Guiné-Bissau melhorou para os 2,1 pontos, Moçambique também melhorou passando de 2,5 para 2,7 pontos, Portugal obteve 6,0 pontos, classificando-se em 32º lugar, São Tomé e Príncipe 3,0 pontos, quase entrando nos 100 países menos corruptos, e Timor-Leste registou uma pequena melhoria passando de 2,2 para 2,5 pontos.


Dinamarca, Nova Zelândia e Singapura são considerados os menos corruptos com 9,3 pontos cada. Na posição extrema oposta estão o Sudão, o Iraque e a Somália

18 outubro 2010

O OGE para 2011 do Governo Socretino



"O Governo português apresentou, conforme manda a Constituição – incompleto mas isso já é normal – a proposta de Orçamento Geral do Estado (OGE) para o ano 2011 com naturais reduções como impõem os diferentes Organismos internacionais e a própria União Europeia para fazer face ao normal e constante défice que Portugal padece.

Vários cortes nos diferentes Ministérios se registam, mas há alguns que viram, ao contrário do que seria expectável ou compreensível, aumentados os seus Orçamentos como adiante se refere.

Alguém me pode explicar porque é que em tempo de crise a Presidência do Conselho de Ministros vê aumentado o seu orçamento em mais de 13% (conforme gráfico do matutino Diário de Notícias de 17/10/2010, págs. 8 e 9) /foto 2 - sublinhado enquanto a Cultura só teve um aumento de 2% e a Educação, pilar da Sociedade, a Segurança Social – cavalo de batalha do partido que suporta o governo Socretino – e a Saúde vêm reduzidos em mais de 10% os respectivos orçamentos. Não quero que me espiliquem, só quero entender…

O aumento será para continuar a manter o líder do governo Socretino entre os mais bem vestidos da Europa? Não quero que me espiliquem, só quero entender…

Também se torna incompreensível o substancial aumento no Ministério da Agricultura e Pescas do governo Socretino, quando ao longo dos anos os sucessivos Governos portugueses têm vindo a aconselhar o abatimento de frotas de pescas e redução ou transformação das áreas agricultadas? Não quero que me espiliquem, só quero entender…

Porque é que a Defesa, outro dos pilares básicos da Sociedade vê o seu orçamento reduzido em 11% (na prática será muito mais, dado que têm de pagar o segundo e necessário submarino apesar dos protestos utópicos do Bloco de Esquerda)? Não quero que me espiliquem, só quero entender…

Já agora, será que o governo Socretino pode explicar o porquê da substancial redução ao apoio à Diálise? Será que esse governo pensa que as pessoas fazem diálise por “dá aquela palha” como estivessem a comprar medicamentos por cada dor de cabeça que têm? Não quero que me espiliquem, só quero entender…

Pois é, não quero que me espiliquem, só quero entender estas e outras incongruências..."
Publicado como Manchete, no , de hoje