20 Janeiro 2011

Manifestações e desencantos em Luanda?

Manifestações várias e desencantos é o que se lê e ouve a partir da cidade de Kianda:

1. Depois do líder da JURA (órgão da juventude da UNITA) ter sido detido à porta da Assembleia Nacional por estar, juntamente com outros dirigentes dos jovens “kwachas” e do secretário-geral da JFNLA, bem assim de jovens de outros partidos da oposição, a tentar distribuir aos deputados manifestos contrários à nova data celebrativa da Juventude (dia 14 de Abril, deixa de ser feriado e passa a ser dia de celebração nacional, estando relacionado com a morte do combatente da ex-FAPLA, Hoji Ya Henda), embora as autoridades tenham afirmado que a sua detenção se deveu a “dar-lhes conselhos”...
2. Após a manifestação que terá ocorrido, ontem, frente à Faculdade de Letras, de acordo com a Rádio Ecclésia e citada no blogue Universal
3. Da manifestação que jovens do Bairro do Cazenga hoje efectuaram – terá sido a segunda em cerca de um mês de acordo com um comunicado do Bloco Democrático (ex FpD) – devido aos contínuos apagões “criados” pelos cortes de cabos levados a efeito pelas empresas de construção civil, e à falta de resposta atempada e efectiva da administração da EDEL (Empresa de Electricidade de Luanda) – isto depois de se terem comprometido a fazer obras desde que os moradores criassem condições para as novas condutas de electricidade e de instalação de uma cabine para que foram feitos buracos nesse sentido e não completados levando à morte de uma criança; a administração da EDEL ter-se-á calado e deixado as autoridades intervir…
4. De uma manifestação de ex-trabalhadores da ENSUL (uma extinta empresa de supermercados de Luanda) frente às instalações do BPC por estarem à espera há cerca de 10 anos que o Ministério da Economia pague as dívidas com os antigos funcionários, dívidas essas cujo o pagamento estava previsto para o ano passado e ainda não há evidências de quando serão efectivadas…
5. Depois de, novamente, um banco americano ter “caçado” as contas bancárias da embaixada e consulados angolanos nos EUA sem razões visivelmente justificados o que levou os seus funcionários ficarem sem os ordenados e a utilizar as suas reservas particulares para subsistirem…
6. De se zumbir que o Governo estará a ponderar a aplicação de uma taxa sobre a venda ambulante, vulgo zungueiros, e sobre os compradores sem que se saiba quais as contrapartidas para minorar esta chaga social de se ver jovens e menos jovens proliferarem entre o caos rodoviário, sujeitos a atropelamentos e a provocar acidentes – Angola é o terceiro país no Mundo onde se registam mais acidentes e é a segunda causa de morte em Angola, a seguir à malária –, por falta de empregos condignos…
7. Algo está, irremediavelmente, em contradição com a Constituição angolana de Fevereiro de 2010, nomeadamente quando o seu artigo 40 (Liberdade de expressão e de informação) parece estar ser posta em causa pelas autoridades…
8. Recordam-se que a revolução de Jasmim terá começado só pela imolação de um desempregado, tal como já terá acontecido no Egipto e na Líbia, e quem alerta

Sem comentários: