20 outubro 2005

Refugiados africanos, AI investiga

Refugiados malianos no campo de Bouarfa. ©Panapress

Segundo o sítio Panapress, a Amnistia Internacional (AI) decidiu abrir inquérito sobre as violências exercidas pelas forças da ordem marroquinas e espanholas sobre os imigrantes clandestinos durante os seus assaltos contra os enclaves espanhóis de Ceuta e Mellila.
Segundo esta ONG, dezenas de pessoas terão morrido ou ficado feridas nas últimas semanas "quando tentavam entrar nos enclaves espanhóis de Ceuta e Mellila a partir de Marrocos".

Refugiado subsaariano que tentava escapar aos campos do Sahara ©Panapress

Também com fotografias como as que circulam na Net e nos órgãos de Comunicação Social, estranho é que só agora tenham avançado para investigação que, verdade seja dita, deveria ter partido do Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e das União Europeia e da União Africana – apesar de Marrocos não ser membro desta organização supra-nacional.

1 comentário:

IO disse...

Isto é horrível, como é que há tanto animal que não quer atacar o problema pela causa: o desenvolvimento do Sul? - ou pia mais alto a necessidade de mão d'obra barata no Norte?