29 fevereiro 2008

Angola subiu no IDH de 2007/2008

Os profetas da desgraça estão mortificados. Então não é que Angola conseguiu melhorar a sua performance no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 2007/2008? Pois passou dos desesperantes 166º para os já melhores 162º, segundo o Relatório de Desenvolvimento Humano 2007/2008 (mas reportado a 2005).
Brilhante, não há dúvida!
Tão brilhante que um dos Países mais ricos de África e com uma brilhante população de novos-ricos – poucos, mas muito bons, até oferecem cabeças de gado aos seus cães –ainda se encontra no quadro de Desenvolvimento Humano Baixo, com 0,446 do valor IDH – só entra no Desenvolvimento Médio a partir dos 0,500 –; com uma esperança de vida a rondar os 41,0 anos e uma taxa de mortalidade infantil de 154/1000 nados-vivos e de 260/1000 para crianças até aos 5 anos; com uma taxa de alfabetização de adultos de cerca de 72,2%; com uma insípida taxa de escolarização bruta conjunta dos ensinos primário, secundário e superior na ordem dos 25,6; com um índice de pobreza de 40,3%; a despesa “per/capita” com a saúde não ultrapassa os 38 USDólarus e tem 8 médicos por cada 100.000 habitantes; apresenta um índice de 3,7% de infectados com HIV-Sida entre os 15 e os 49 anos; e “last but not least” apresenta um Produto Interno Bruto (PIB) de, somente, 2.335 USDólares e uma inflação de 23%.
Se isto é suficiente para embandeirar em arco...
Já agora de registar que nos restantes países da CPLP, constata-se que Portugal está no 29º lugar com 0,897 do valor do IDH e o Brasil, está no 70º lugar, com 0,800 – fecha o índice de Desenvolvimento Elevado –; Cabo Verde em 102º, com 0736, São Tomé e Príncipe em 123º, com 0,654, e Timor-Leste em 150º, com 0,514, estão no grupo dos Desenvolvimento Médio; já Moçambique em 172º, com 0,384, e Guiné-Bissau em 175º e antepenúltimo lugar com 0,374.
Ao contrário de Portugal, houve países da CPLP, como casos do Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau e Moçambique que melhoraram as suas posições face ao relatório global referente ao ano de 2000. São Tomé e Príncipe e Timor-Leste entraram pela primeira vez para o relatório e logo como Países de Desenvolvimento Médio. Ao contrário de Angola, também pela primeira vez no grande grupo, que está onde está...

1 comentário:

bia disse...

huum nossa que legal