20 setembro 2007

Brown, Mugabe… e África que se lixe!

O senhor primeiro-ministro britânico Gordon Brown, ameaçou que boicoteará a II Cimeira África-UE caso o senhor presidente Robert Mugabe, do Zimbabwé, apareça na mesma.
Um facto já admitido, há muito, no seio da diplomacia afro-europeia, pelo que não surpreende.
O problema não está na presença do britânico Brown ou do autocrático zimbabueano Mugabe. O problema chama-se “África solidária”.
E tudo por causa da disputa entre dois idiotas que desejam manter as suas “razões” acima dos interesses dos europeus e dos africanos. Porque ambos jogam na solidariedade entre os seus pares
O problema não está que Mugabe seja ou não um ditador e um defensor das restrições dos Direitos Humanos no seu país. Se esse fosse o problema então o senhor Brown também não iria à Cimeira com a presença de outros ditadores como Muamamar Kadhafi, da Líbia, de Teodoro Nguema Mbasogo, da Guiné-Equatorial, de Lasana Conté, da Guiné(-Conakry), de Omar Bongo, do Gabão, de Yahya Jammeh, d’ A Gambia, ou de países como a Eritreia ou o Sudão que apoiam terroristas e genocídios.
Não! O senhor Brown, da excelsa, vetusta e democrática United Kigdom só se preocupa com o senhor Mugabe, um ditadorzeco do Zimbabué, por acaso uma ex-colónia sua. Mas também a A Gambia foi uma colónia sua que onde actual presidente derrubou um legitimamente eleito democraticamente e, nem por isso, se ouve críticas à sua presença. E quem diz estes dir-se-á de outros que se não são ditadores ou autocráticos para lá caminham.
E também os britânicos se esqueceram de boicotar a sua presença na reunião Asean-UE onde estava presente uma personalidade proibida, também ela, como Mugabe, de entrar na Europa. Ah! é que a reunião foi fora da Europa. Pois, mas os fundos vão da europa e não distinguem países defenores dos direitos Humanos ou castradores dos mesmos, como a Birmânia/Myanmar. Por outro lado, os ingleses e o senhor Brown não apresentam propostas que conciliem a presença de zimbabueanos na Cimeira – mesmo admitindo que seria sempre um tiro no escuro – não, para os britânicos só a palavra “Mugabe” parece criar urticária. Esquecem tudo o mais!
Será que o verdadeiro problema do senhor Brown não é a presença do senhor Mugabe na Cimeira mas que este consiga forçar os seus “colegas” produtores de chá a não mais enviar este produto para a velha Albion como já chegou a aventar numa recente reunião dos países centro e leste-africanos, em Nairobi?
Uf!!! Os Britânicos sem o seu cházinho é como os italianos sem a sua “pasta”, os franceses sem as suas “baguets”, os espanhóis sem as suas “largadas e tomatadas”, os alemães sem as suas “salsichas”, ou os portugueses sem os seus “cozidos e feijoadas bem regados”…
Entrementes, a presidência portuguesa da União Europeia vai afirmando que a presença de Mugabe é “um facto perturbador” e por “uma questão de princípio para a UE”. Mas, também ela, não apresenta alternativas… públicas!
Entretanto, África e a Europa que se lixem!
Os primeiros porque ainda dependem, de certa forma – mas talvez por pouco mais tempo – das políticas comunitárias europeias quanto às protecções alfandegárias e das exportações e importações ao abrigo dos Acordos de Lomé-Cotonou.
A Europa que se dane, porque se continuar a depender dos humores dos britânicos, África terá sempre a China para a ajudar mesmo que isso acabe por tornar os africanos em suserados da nova superpotência.
E a isto, o que responderão os norte-americanos?
Ou teremos, no futuro como num passado não longínquo, uma partilha de África entre duas superpotências, uma partilha sino-americana?

NOTA: Parece que o senhor Brown tem razão quanto ao efeito e ao poder do senhor Mugabe. A prova foi dada hoje pelo senhor Levy Mwanawasa – que além de presidente da Zâmbia é o presidente em exercício da SADC – ao ter já afirmado, via Rádio Zâmbia, que se ele (Mugabe) não for convidado como líder do País, eu (o Presidente Mwanawasa), também não vou a Lisboa.
Talvez por causa da inoportunidade da visita de Mugabe, segundo palavras do inquilino português do Palácio das Necessidades (pelos vistos deste palácio, ultimamente, só saem – ou entram – coisas destas), que se diz por aí que o senhor bispo Desmond Tutu anda a ver se consegue que o senhor Mugabe seja aconselhado a sair da presidência do Zimbabué.
Será que alguém já se lembrou de pedir emprestado ao Museu de Santa Comba Dão – acho que já existe – a cadeira que fez cair António de Oliveira Salazar? Quem sabe não seria remédio santo…
.
O texto inicial foi agora também publicado n' nº67, de 27 de Setembro de 2007

2 comentários:

IO disse...

Grande post, cá está o 'pululu' a ajudar a compreender o mundo, e magnífica solução final lol!

Abraço, IO.

Zé Paulo Gouvêa Lemos disse...

Terei mesmo que colocar link lá no meu cantinho. Como se diz aqui em "Terras Brasis", está show de bola.