30 novembro 2006

Querem derrubar o governo Swazi?

São graves as acusações de um jornal sul-africano e citadas pelo Canal de Moçambique.
Segundo este portal moçambicano o jornal "The Saturday Star", acusa o ANC de estar a preparar um grupo de cerca de 50 jovens provenientes da Swazilândia dando-lhes treinos militares na província sul-africana de Mpumalanga com capital em Nelspruit e com instrutores recrutados no Quénia e entre antigos guerrilheiros da Renamo.
De acordo com aquele periódico, citando um membro do “Congresso Juvenil da Suazilândia” (Swayoco – o braço juvenil do “Pudemo” Partido Popular Unido Democrático), a formação ideológica dos alegados rebeldes estaria a cargo de militantes do ANC e as sessões de educação politica, estariam sob a responsabilidade de Godfrey Sibiya, secretário da Liga de Jovens Comunistas (YCL) para a região de Nkomazi.
Ora esta formação político-militar visará(ia) a queda da decrépita e autocrática monarquia swazi.
Todavia tanto a Renamo como o Pudemo já vieram negar tais acusações.
Pelo lado da Remano, o o porta-voz, Fernando Mazanga, disse que “refuta qualquer envolvimento” do seu partido “numa empreitada do género”.
Já o presidente do Pudemo negou ter conhecimento da existência do campo de treinos militares referido pelo "The Saturday Star" e que o seu partido “não dispõe de bases militares nem tão pouco utiliza o território de qualquer país para o treino de exércitos secretos” além de estar empenhado em “erradicar o sistema de representatividade, vulgo “Tinkhundla” (conselhos tradicionais) substituindo-o por um regime democrático.”
Registe-se que ele não negou a sua existência. Negou, outrossim, ter conhecimento da sua existência…
Em qualquer dos casos é muito grave até porque o ANC é o suporte de um governo que se diz – e quero continuar a acreditar que sim – democrático na terra do arco-íris.
Será que Mandela saberá disto? Não quero crer!

Lisboa vai ser palco de uma reunião de alto nível?

A fazer fé nos efectivos da Polícia (PSP) que vão, amanhã, estar em permanência numa determinada zona da capital portuguesa parece que sim.
Senão vejamos:
1. PSP destacou cerca de 600 elementos - entre polícias e corpo de intervenção - para garantir a segurança do evento (pelas palavras da porta-voz à hora do almoço fiquei com a ideia que eram muitos mais);
2. A segurança do evento será garantida por elementos de "várias valências do comando de Lisboa", entre elas a Unidade Metropolitana de Informações; uma unidade especializada para protecção dos membros desse evento;
3. Vai acontecer um "reforço generalizado do policiamento", na área circundante à zona do evento seguida de uma concentração de efectivos, fardados e à civil, dentro do referido local do evento;
4. Estão previstos "condicionamentos momentâneos" no trânsito, nas zonas circundantes ao evento, e alguns "cortes no trânsito";
5. É proibida a entrada no local do evento de "crianças com menos de três anos", e, naturalmente, de qualquer tipo de "engenhos explosivos ou pirotécnicos";
6. A PSP avisou que "arremessar objectos" ou a tentativa de entrar sem autorização no referido local "constitui crime".
Perante estas manifestações de prudência, quase paranóia psíquica, seríamos levados a pensar que iria acontecer uma – mais uma – Manifestação contra o Governo do senhor Sócrates ou que estaria prevista a presença de algum dos principais signatários de Açores, nomeadamente, o senhor Bush ou o senhor Blair, mas não será nada disso.
Tão simples como a realização de um evento desportivo entre dois clubes da capital.
Tão simples como um – mais um – simples jogo de futebol entre o Sporting e o Benfica.
Ou será que estou errado e o que vai acontecer é um combate entre os dois principais clubes de Lisboa.
Se assim for já estou arrependido de não ter saído da capital portuguesa e procurar um clima mais ameno, mais consentâneo com a minha civilização africana de “guerras são entre beduínos e macacos”.
Os desportistas não guerreiam. JOGAM e RESPEITAM!!!
Não terá um efeito contrário a presença desse número de elementos de autoridade. E não são poucas as vezes que os desacatos se devem à incapacidade das autoridades em saberem gerir os conflitos, mesmo que menores!!
Por favor, senhores jogadores, dirigentes e público, joguem e respeitem!! SÓ ISSO!!!!
.
ADENDA: Como previa, e apesar de ter havido duas expulsões, resultantes de incidências do próprio jogo e não de casos ou agressões, os jogadores, dirigentes, treinadores e, pelo menos até agora que estou a escrever isto, não se registou nada de anormal. Só cada adepto a incentivar a sua equipa e "cordialemente" assobiar o adversário sem ultrapassar as marcas da boa educação.
Ganhou o Benfica por 0-2 - bem, assinale-se - mas o Sporting, e até acabar o jogo, nunca desistiu de tentar marcar, para diminiuir, empatar ou mesmo vencer.
Ou seja; Jogaram e Respeitaram-se mutuamente como Desportistas que foram. Pena nem sempre seja assim.
.

Só falta um para a troïka desmoronar-se de vez?!

A troïka ainda existe?

Após a primeira volta das eleições presidenciais Bissau-guineense previ que o resultado da segunda volta seria por certo o resultado de um acordo tripartido entre “Nino” Vieira, Kumba Yalá e Francisco Fadul.
Costumo a dizer que não há nada que mais me aborreça que, em certas ocasiões, ter razão.
Começou pela razão ser quase evidente numas declarações de Yalá após o seu auto-exílio de Marrocos.
E esta para ter razão absoluta já só falta um dos da tal troïka vir a terreiro reclamar do que é seu. Ou talvez não reclame porque ainda estará bem servido ou já viu que mais vale estar calado e “exilar”.
Há dias o Governo de “Nino” – perdão, de Aristides Gomes (vai dar ao mesmo) – viu demitido um dos seus membros e nomeado uma outra personalidade para o pelouro em causa.
Na situação de demitido falamos de Ernesto de Carvalho que tinha, por força de um acordo entre Kumba e “Nino”, o Ministério do Interior. Para o seu lugar foi nomeado Dionísio Cabi.
Kumba reclamou e avisou que se não fosse reposta a “legalidade” meteria a “boca no trombone” – leia-se “bufava”, ou seja, denunciava, – e poria à vista de todos o tal acordo pré-eleitoral da 2ª volta.
E então não é que isso já está feito?
Quem quiser ler ou acede ao semanário Gazeta de Notícias, ou, como no meu caso, ao Africanidades. Uma delícia!
Acreditem! aborrece-me solenemente quando, como nestes casos, tenho razão!!!

Isto é que vai uma poloniodemia

Na véspera do Dia Mundial do HIV-Sida/Aids interessante a nova endemia que começa a proliferar por certos locais europeus.
Primeiro terá tido início em Londres; agora já se fala em Moscovo e, provavelmente, por outras cidades e capitais europeias e, ou, de outros continentes onde os “emissários” terão interesses.
E estes, segundo uns o principal culpado, e inocente, segundo outros, terão como precedência um nome em comum e a quem a liberdade parece querer dizer pouco ou nada: Vladimir Putin.
Há poucos dias faleceu um coronel do extinto (substituído) KGB, Alexander Litvinenko, segundo parece envenenado com Polónio-210, um isótopo obtido a partir do bombardeamento de neutrons de urânio numa placa de bismuto, e que foi detectado em vários locais de Londres por onde terá passado a vítima que, por mero acaso, estava a investigar a morte da jornalista Anna Politkovskaia e que, segundo aquele, tudo indiciava como tendo havido mão de pessoas afectas ao Kremlin.
Agora, vários aviões, nomeadamente da empresa britânica British Airways, estão em quarentena por terem sido detectados vestígios de polónio nos mesmos. Por acaso, terão viajado nesses aviões cerca de 30 mil passageiros. Coisa pouca, a confirmarem-se os mais pessimistas receios.
Entretanto, o antigo primeiro-ministro do consulado de Boris Yeltsin, Yegor Gaidar, foi acometido de doença súbita quando se preparava para dar uma Conferência em Irlanda e os sintomas apresentados parecem indicar um eventual envenenamento com Pulónio-210. Interessante o facto de quererem associar a morte de Litvinenko a esta indisposição súbita através de uma terceira personalidade, Andrei Lugovoy, um gaurda-costa de Gaidar e também ex-KGB.
Mas os nomes não ficam por aqui.
Um dos opositores de Putin, o milionário Boris Beresovski, viu os seus escritórios serem selados pela Scotland Yard depois de ter sido detectado no local resíduos daquela substância radioactiva.
Não há dúvidas que anda por aí uma poloniodemia estranha…

29 novembro 2006

Registo eleitoral em Angola

Ainda agora começou o processo pré-eleitoral com o registo dos potenciais eleitores e já começa a ficar inquinado.
Nada que possa surpreender alguns sectores da vida política angolana.
Ainda assim, era de esperar mais decoro, não acham?
Esta introdução deve-se a uma afirmação do coordenador da Comissão Interministerial para as Eleições (CIPE), Virgílio Fontes Pereira; segundo o coordenador há pessoas que desejam inscrever mais de uma vez… É o que se chama vontade de votar!!!
Até congoleses democráticos já se quiseram registar…
E já agora, quando é que começa o registo dos emigrantes?
Também devemos gozar do direito de termos uma opinião no acto eleitoral…

28 novembro 2006

A Sida em Angola nas vésperas do Dia Mundial

Com a devida vénia coloco este alerta recebido, via e-mail, do CanalAngola, relativo a um problema que não é dos outros mas de todos nós.
E em Angola, e desde 1989 quando, oficialmente, foi registado o 1º caso de Sida no país, já existem 400 mil infectados – números oficiais.
Quando se trata do Sida/Aids, ou de qualquer outra doença perigosa e altamente contagiosa, não podemos continuar a pensar num só dia mas sempre - SEMPRE - na prevenção diária e que NÃO ACONTECE SÓ AOS OUTRO...

,

Ainda te lembras do primeiro amor?? E do segundo, terceiro, quarto e por ai adiante?

Dezembro, num sábado à noite, era só gente linda na cidade kianda, a minha, tua, nossa Luanda. Num Bar, Pub, Discoteca ou Festa vale sempre arriscar quando a oportunidade aparece. Trocar uma noite de prazer e viver os momentos da vida...

Mas as consequência de um risco são os efeitos secundários ou os frutos...Vamos usar o preservativo porque em poucas horas de diversão, alguns minutos de excitação em relações ocasionais, e até mesmo relações estáveis, podemos destruir o nossos sonhos...

Senão corres o risco de ficar agarrado a medicamentos e corres também o risco de ser descriminado.

Para mais tarde não se queixar dizendo “estão a falar de mim hoje, não me dão confiança, ontem estavam comigo no Mussulo, na ilha”...

Evita lágrimas e tristezas para tua família e para ti... O tempo não recua e a sociedade não perdoa…


Em 1989 foi registado oficialmente primeiro caso do vírus HIV-Sida em Angola. Hoje 2006 temos 400 mil Angolanos infectados com a doença. É nossa responsabilidade travar esse crescimento.


Luanda Dia 27 de Novembro de 2006: Perto de 400 mil angolanos vivem com o VIH-SIDA. Os dados são avançados pelas autoridades angolanas que apontam as províncias fronteiriças como as zonas de maior incidência da epidemia. Estes dados foram avançados em Luanda, durante o seminário para revisão do Plano Estratégico Nacional para as Infecções de Transmissão Sexual.



Divulgue essa mensagem para o maior número de amigos possíveis. Proteja quem você ama informando-o. Porque se ficar calado(a) você só estará ajudara propagação da doença.
Anualmente 20 mil Angolanos contraem o HIV. Usando a camisinha você pode diminuir a propagação da doença como outras doenças sexuais como: Clamídia, Gonorréia, Herpes genital & Sífilis.


Usando a camisinha em 1 ano podemos baixar a estatística e combater o HIV em 10 anos podemos garantir um futuro melhor para a nossa sociedade e para os nosso filhos somos jovens e inteligentes para combater isto.


Hoje pode ser o nosso vizinho, amiga, conhecido, famoso ou uma jovem da noite. Quem garante que amanha não serás tu, teu primo, tua irmã ou teu tio?

Vamos cortar este ciclo porque hoje todos podemos ter um irmão ou prima ou sobrinho que só tem 15 a 17 anos e está começar a sua vida sexual, por azar do destino está com um ou uma parceira que esteve numa relação anterior e contraiu o vírus e nem sabe.

É por inexperiência e por não se falar da vida sexual de camisinhas e muito mais o teu familiar também pode estar infectado.

SIDA/HIV não escolhe cara, raça ou nível social todos nos estamos em perigo.


Use Sempre a Camisinha...

*(imagens do e-mail do CanalAngola, excepto a primeira que é do jornal Apostolado)

27 novembro 2006

A China e a chucha africana - artigo de opinião

"A China e a chucha africana" sob este título, um artigo publicado no semanário santomense Correio da Semana, edição 92, de 25-Nov-2006.
"O Continente africano, a “Belle Afrique”, afigura-se, cada vez mais, como um novo el Dourado para a China.
Actualmente cerca de 10% do comércio africano é feito com a China.
É de África que chega o crude que sustenta a emergente economia chinesa – o maior desenvolvimento económico da actualidade – com particular destaque para Angola – actualmente perfila-se como o principal fornecedor de petróleo, tendo destronado a Arábia Saudita, o até agora maior abastecedor –, Sudão e, em breve, a Nigéria – que, por certo e para satisfazer o largo apetite chinês, terá de ir buscar muito dele à plataforma marítima santomense e à da Guiné-Equatorial; com que custos? – e, também muito em breve, de Moçambique de onde chegará o gás.
" (Pode continuar a ler aqui).

O desporto no fim-de-semana afro-lusófono.

Angola viu o Girabola terminar com a confirmação do 1º de Agosto como campeão Nacional e vencedor da Taça de Angola e os sambilas – algo me diz que lá para a Cidade Alta alguém deve estar com uma senhora azia – a descerem de divisão.
A acompanhar o Progresso do Sambizanga, desceram também, os Bravos do Maquis, ultrapassados na última jornada pelos benguelenses do 1º de Maio (cilindrou o Benfica do Lubango por 4-0), e o Sporting de Cabinda.
Ascenderam ao campeonato maior o Petro do Huambo, Inter do Moxico e Santos FC.
Para as afro-taças o 1º de Agosto e o Petro-Atlético de Luanda vão competir nas eliminatórias de acesso à Liga dos Campeões Africanos, enquanto o Benfica de Luanda – finalista vencido da Taça – e o Interclube vão à Taça CAF “Nelson Mandela”.
Mas nem só de futebol se viveu o desporto nacional em Angola. No basquet destaaque para a final da taça dos Clubes Campeões de basquetebol africano que opôs o Petro-Atlético de Luanda ao 1º de Agosto – uma renhida final entre angolanos (76-71) – e que deu ao petrolíferos a sua primeira taça internacional em basquetebol.
Entretanto, em Moçambique, o Desportivo de Maputo, tal como o 1º de Agosto, em Angola, fez a dobradinha ao vencer a final da Taça de Moçambique o Têxtil de Pungué por 1-0.
Em Cabo Verde continuam a decorrer, ou iniciar, as provas regionais de futebol.

26 novembro 2006

Uns dizem-se democratas, outros dão o exemplo

De acordo com recentes notícias provenientes de Luanda a UNITA prepara-se para ir a votos, para a chefia do Partido, no próximo Congresso a realizar em 2007.
Perfilam-se como candidatos naturais o actual presidente, Isaías Samakuva, o candidato derrotado das últimas eleições internas e primeiro presidente interino pós-Savimbi, Paulo Lucamba “Gato”, e o sempre pronto candidato, Abel Chivukuvuku.
Em período pré-eleitoral nacional – para quando as eleições legislativas e presidenciais? o registo eleitoral já começou; a ver vamos – a UNITA dá mostras de uma vitalidade democrática pouco reconhecida em África, em geral, e, muito menos e infelizmente, em Angola.
Apesar de se clamarem democratas mas com práticas nada consentâneas com a matriz política que a Democracia encerra, hão em Angola indivíduos e organizações que mostram desconhecer, ou não querer reconhecer, o significado da raiz etimológica e aristoteleana da palavra – “demokratia”, demos (povo) kratia (poder), ou seja, o povo no poder – actuando como se o poder e o povo fossem eles e só eles.
Por isso, saúda-se este desenvolvimento pré-eleitoral, claro e aberto, da e na UNITA. Um exemplo que deveria ser seguido por muitos mais.
Um sinal que a democracia em Angola não é uma palavra vã e que deve ser olhada não como um “bicho” perigoso que nos tira o nosso “pão” mas que nos reforça a nossa consciência como Homens e como Cidadãos com plena capacidade de intervenção nos sagrados actos da Nação.
Relembremos as palavras do reeleito presidente de São Tomé e Príncipe quando na tomada de posse afirmou que em questões de democracia Angola não teria capacidade para ensinar nem dar lições.
Porque será?
Talvez porque há quem pense que pelo facto de ser do GURN tem de deixar de ser do partido que o lá colocou? Ou que uma coisa é incompatível com a outra?
Relembrava o que se passa no Ministério do Comércio, cujo o Ministro, por acaso militante da UNITA, Joaquim Muafumba, se viu desautorizado pelo MPLA quando desejou demitir – ou substituir – o director nacional do comércio, Gomes Cardoso; de acordo com algumas notícias, elementos afectos ao principal partido no poder terão feito chegar ao Ministro que “ele é do GURN sim senhor, mas é da UNITA, e como tal não tem de saber tudo nem ter o controlo sobre toda a gente do seu Ministério”.
Sabe-se que o seu ministério não tem pautado pela melhor coordenação e gestão e, por vezes, são formuladas acusações de nepotismo, apontando-se casos como o de colocar a sua filha como directora-adjunta num organismo do Ministério; mas como diz o velho ditado bíblico “quem não tiver pecados que atire a primeira pedra”. Será que há candidatos?
Se assim for como se explica que pessoas que se dizem afectos e militantes do MPLA tomem precisamente posições contrárias e mostrem uma postura inusitada e imprópria da democracia?
Navegam no poder como se fossem correias de transmissão do partido. Será que este estará de acordo com muitas das posições desses seus militantes?
Pelo que sei, ouço e leio não será assim.
A Democracia não se gere conforme as conveniências e as vontades intrínsecas de cada um. Ou se é democrata ou não se é democrata.
Esperemos que, como nas últimas eleições na UNITA, esse sublime acto de Democracia – as eleições –, tenham o mesmo final: os derrotados aceitarem com elevação a derrota e ajudem, desinteressadamente, o líder e este saber ouvi-los sempre que tal for necessário.
É assim em Democracia.
Por isso uns se dizem democratas e outros dão o exemplo.
,
ADENDA: Obrigado ao meu amigo e jornalista Jorge Eurico pela chamada de atenção quanto à troca de nomes no apelido Cardoso. Realmente é Gomes Cardoso e não Carlos Cardoso como incorrectamente estava escrito.
.
ADENDA 2: Este apontamento está também publicado, como artigo de opinião, no portal Africamente.com.

Ruanda e França em rompimento

Há dias escrevi aqui um apontamento onde alertava para as preocupações que poderiam derrapar as relações franco-ruandesas, devido em grande parte ao eventual tomada de posição dos militares franceses em não anular ou mesmo pactuar face ao etno-genocínio ruandês.
Na sequência desse processo um juiz francês, Jean-Louis Bruguiere, terá afirmado que só a Frente Patriótica Ruandesa (RPF), actualmente no poder, tinha mísseis capazes de abater o avião onde seguia o então líder radical huto e presidente do Ruanda, Juvenal Habyarimana, em 1994. Segundo afirma aquele juiz francês terá provas de que terá sido Paul Kagame, actual presidente do Ruanda, a ordenar o referido assassinato, episódio que levou radicais hutus a assassinarem cerca de 800 mil ruandeses, a maioria da etnia tutsi.
Ora como Kagame goza de imunidade, devido ao seu actual estatuto, o citado juiz propôs que o mesmo fosse investigado pelo Tribunal Internacional para o Ruanda enquanto, simultaneamente, emitia mandados de captura contra 9 colaboradores do presidente ruandês.
Tal atitude francófona levou o Ruanda a expulsar o embaixador de França do país e a romper relações diplomáticas com Paris.
Os Estados são livres de tomar as iniciativas que considerarem mais correctas e oportunas para a defesa dos seus interesses. Não esqueçamos que os Estado não têm amigos mas interesses a defender.
Todavia, se Kagame nada tem a esconder nem a temer e como tem se mostrado como paladino da defesa da verdade no que concerne ao etno-genocídio ruandês não se vislumbra porque ficou melindrado por ser investigado.
Quem não deve não teme.
Por outro lado, foram os ruandeses que despoletaram esta situação quando, bem ou mal, está um Tribunal francês a julgar esse processo, acusaram os militares franceses de pactuarem com o citado e ignóbil etno-genocídio que, ainda hoje, continua a fazer vítimas quer entre os que mais o sentiram quer entre aqueles que, directa ou indirectamente nele participaram. O Tribunal Marcial do Ruanda condenou um antigo comandante do Exército ruandês, o general Laurent Munyakazi, à prisão perpétua por actos de genocídio e crimes contra a humanidade e o bispo Wenceslas Munyeshyaka, actualmente refugiado em França, à prisão perpétua por participação em actos e cumplicidade no etno-genocídio.
Por isso, e como quem não deve, não teme, não se entende esta tão radical decisão de Kigali face a Paris.
Ou será que, pelo contrário, os telhados de vidro são tão finos que o melhor é atirar com os franco-atiradores para o mais longe possível. Não vá alguma pedra, mais certeira, perfurar a carapaça da virtude…

24 novembro 2006

Os meus melhores de 2006 para o Geração Rasca

Já me tinha apercebido através de vários blogues – alguns dos quais fizeram o favor de me incluir nas suas listas, o que, através deste meio, lhes agradeço tal distinção – que decorria por iniciativa do blogue “Geração Rasca” uma votação para os melhores Blogues 2006; o regulamento desta interessante iniciativa pode ser lida aqui.
Activada a curiosidade, procurei fazer uma listagem pessoal daqueles que penso poderem ombrear com muitos que já vi pontuados e cuja distinção não contesto.
Comecei logo por ter um problema congénito: não exceder as 6 (seis) citações para cada item.
Quanto mais olhava mais me parecia que faltavam alguns quantos. Salvo casos muito pontuais – talvez dois ou três em 36 (é obra) –, acabei por decidir não mexer nos primeiros seis que tinha escrito em cada item e não protelar mais a minha votação; não que seja fundamental ou indispensável, mas...
Assim, aqui fica a minha proposta, colocada em ordem alfabética:

. Melhor blog individual feminino:
África de todos os sonhos; Ana Bunker; Às vezes (des)organizo-me em palavras(Pwo)...; Chuinga; Cão com pulgas; So Pa Fla
.
. Melhor blog individual masculino:
Água Lisa6; Alto Hama; Escrita em Dia (Blogda-se); Kitanda; Macroscopio; Ma-schamba;
.
. Melhor blog colectivo:
2+2=5; A minha sanzala; Bazonga da Kilumba; Jumento; Mar Salgado; Puxa Palavra;

. Melhor blog temático:
Poesia portuguesa; Coisas de hoje; Desabafos Angolanos; Fazendo Caminho; Forja de palavras; O Arauto;

. Melhor blog:
Africa de todos os sonhos; Africanidades; Alto Hama; Escrita em Dia (Blogda-se); Jumento; Ma-Schamba;
.
. Melhor blogger:
Carlos Gil (O Vazio e Xicuembo ); Isabella Oliveira (As 4 Chuingas); João Tunes (Bota acima e Aguaslisa o conjunto das 6]); Jorge Neto (Africanidades [o conjunto dos 2]); José Pimentel Teixeira (Ma-schamba e Sem estradas); Rui P. Matos (Macroscopio e Globália)
.
Que ganhem os melhores e todos os restantes fiquem felizes por saberem que também terão a sua quota parte na qualidade da Blogalização.

22 novembro 2006

Cabo Verde oposição censura

A oposição vai tentar fazer aprovar a votação a uma moção de censura contra o Governo de José Maria Neves e do PAICV.
O Movimento para a Democracia (MPD), o maior partido da oposição no país e maior grupo parlamentar oposicionista, entregou na Assembleia Nacional cabo-verdiana a moção de censura ao Governo acusando este de tardar em adoptar medidas legislativas para impedir o aumento do preço de certos bens essenciais no arquipélago e pelo facto do Executivo ter querido impor três medidas fiscais consideradas inconstitucionais pelo Supremo Tribunal de Justiça, que também tem funções de verificação constitucional.
Como o partido que suporta o Governo cabo-verdiano tem a maioria absoluta e porque a disciplina de voto, neste casos, é “sagradíssima”, não será mais que um tiro ao ar e sem direito a recuperar a bala para outros actos.
Por vezes, e nisto uma certa oposição portuguesa é perita nisso, a oposição de rua é mais eficaz e “barulhenta”; e os cabo-verdianos já deram mostras que sabem clamar na rua…

Calaram-no há 6 anos!!!!

(imagem ©daqui)

Era um jornalista que pugnava pela transparência e contra certos autocracismos. Como ele escreveu, em 1985, no poema «Cidade 1985» "À noite quando me deito em Maputo / não preciso de rezar / já sou herói...".
Por ser um herói, calaram-no há 6 anos!!!
Uns, os mais descartáveis mas, nem por isso menos "protegidos" - relembremos Anibalzinho e as suas "fugas" -, estão na cadeia acusados do assassinato perpetrado ; outros, parece estarem em cadeias de hotéis e cirandarem livremente.
Falo, naturalmente, do jornalista moçambicano Carlos Cardoso.

21 novembro 2006

Assinado um acordo de fusão nuclear

(imagem SIC/Sapo.pt)

Até aqui nada de especial.
Gostemos ou não do nuclear, defendamos ou critiquemos o nuclear, até uma clara prova em contrário, é a energia limpa mais fiável ou de custo mais reduzido. Poderia ser umas das alternativas ou renováveis como a energia eólica, solar geotérmica ou marítima mas… a quem interessa?
O que é interessante são os parceiros que vão participar nesse projecto que visa a construção e exploração do primeiro reactor experimental de fusão nuclear, denominado “acordo ITER” como a UE, os EUA, o Japão, a Rússia, a China, a Índia – um dos que ainda não ratificou o Tratado de Não Proliferação Nuclear – e, pasme-se, se li bem aqui, a Coreia do Norte.
Para quem até há pouco estava pouco menos que considerado um pária e pronto para a guerra…
.
ADENDA: Como era de prever não é a Coreia do Norte, conforme escreve a SIC-Online, mas a Coreia do Sul como se pode ler aqui, aqui e aqui.

Angola vais ajudar a Comunicação Social da Guiné-Bissau!?

Guiné-Bissau pediu a Angola que a apoie na reabilitação da Comunicação Social (CS) do país pelo que parece ir assinar um protocolo nesse sentido.
Provavelmente alguém em Bissau não fez, devidamente, os seus “deveres de casa” e não leu as três últimas edições do Semanário Angolense onde se ataca visceralmente um dos eventuais representantes – um tal Artur Queiroz – de um hipotético grupo económico luso-angolano que quer alterar o actual figurino da CS Angolana.
Pedir ajuda a um país que ainda só tem um jornal diário, e ainda estatal, e um deficiente parque gráfico é não jogar para ganhar mas sim para não perder…
Não acredito que a Guiné-Bissau queira fazer um flick-flack na sua habitual atitude com os representantes da CS quer do país – onde acontecem acidentes estranhos entre jornalistas e veículos da polícia, ou os seus jornalistas têm de sair para fazer o que mais gostam: informar – quer com os órgãos informativos estrangeiros; relembram-se da RTP-África e de como um seu jornalista foi “excomungado”…
Por outro lado, de Angola não parece estar a chegarem boas notícias quanto à CS. O tal grupo, profundamente atacado pelo SA, parece que, além do que vê estar disponível em casa, quer também “atacar” meios externos desde que algumas pessoas sejam “corridas” dos seus actuais postos; segundo parece o órgão que querem comprar é só lido por cerca de 6.000 visitantes/dia; talvez mais do que o Jornal de Angola consegue diariamente ou, semanalmente, o conseguem alguns semanários angolanos. Será falta de confiança no produto nacional?

Militares discretamente no poder?

Depois do general Agostinho Nelumba “Sanjar”, que passou de CEMG Forças Armadas para o cargo de vice-Ministro da Defesa, agora é o general Mateus Miguel Ângelo“Vietnam” a mudar de um cargo militar para uma função civil.
O general Vietnam passou de Chefe de Estado Maior do Exército para vice-Ministro da Assistência e Reinserção Social.
Será que, desta feita, com um militar no cargo, os problemas com a reinserção dos desmobilizados das FAA e dos ex-guerrilheiros da Unita vão ser, finalmente, regularizados?

20 novembro 2006

Ideias de Moçambique, um blog-suporte de estudo

Interessante cronologia política de Moçambique (entre 1976-2001) colocada pelo historiador e investigador moçambicano Egídio Vaz Raposo.
Como complemento, apesar de o primeiro estar logo a anteceder mas, em qualquer dos casos, para mais fácil acesso na busca, bom seria que este texto tal como os próximos, porque penso não devem ficar por aqui, tivessem um acesso directo ao(s) antecessor(es).
Fica a sugestão e a deixa.

Os Direitos das Crianças

(imagem ©daqui)
“Faz o que eu mando, esquece o que eu faço”.
De acordo com um artigo do Jornal de Notícias tanto os EUA – a segunda maior democracia do Mundo (a primeira é a Índia?) – como a Somália são únicos dois países que, dezassete anos depois da sua entrada em vigor, ainda não ratificaram a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança.
Porque será?
Na Somália não se surpreende dado ser um dos países que mais utiliza as crianças como “carne para canhão”, ou seja como crianças-soldados (facto que, infelizmente, não é único). E os EUA, desde sempre considerado e aceite como o paladino da defesa dos Direitos Humanos? Que os “burros” entrem depressa nas diferentes Câmaras para ver se fazem aquilo que a anopsia de um grupo impede.

China e a liberdade de expressão

A China voltou a bloquear os acessos à Wikipedia e ao Blogspot.
Sem dar grandes justificações, tudo parece indicar que esta atitude do Governo chinês se deverá “ao facto de que ambos os sites contêm informação «sensível» para Pequim, nomeadamente referente a direitos humanos, à questão do Tibete, Taiwan, etc”.
Eu apesar de saber que este meu blogue é lido quer em Beijing, quer em Xangai, como em Hong kong e Macau – basta ver o mapa, e os seus arquivos, ao lado –, na parte que me toca, não penso deixar de falar, ou escrever, de e sobre estes assuntos.

Um estúpido acto jingoísta ou mero lapso?

(imagem ©daqui)
Em Moçambique uma missionária foi assassinada – segundo parece, já foram detidos os hipotéticos assassinos – e a imprensa portuguesa fez, naturalmente, parangonas sobre a sua morte sem se esquecer – nunca – que ela era uma missionária.
Esta madrugada, infelizmente, outro missionário, desta feita brasileiro, foi assassinado em Timor-Leste quando viajava numa carrinha que conduzia; é a primeira vítima não timorense – apesar de clamar isso mesmo – desde o início dos distúrbio no país.
Tal como a missionária portuguesa, este era um missionário, só que brasileiro e evangélico.
Talvez por isso, a uma parte da imprensa, em Portugal, se esteja a esquecer de sublinhar que era missionário (pelo menos duas televisões portuguesas fizeram questão de passar por cima deste facto; primeiro anunciavam a “morte do missionário” e no corpo da notícia só como “brasileiro”; também de notar que o despacho da Lusa, por acaso a partir do Brasil se esquece daquele pequeno pormenor).
Porque será? Por ser brasileiro, ou por ser evangélico?
Será que em Moçambique o missionarismo é pouco relevante e, por esse facto, se tenha de vincar que a assassinada era missionária enquanto em Timor-Leste, o principal, senão mesmo o único, país católico da região, esse facto a ser relevado poderia ser pouco abonatório para os governantes locais?
Será por não ser católico? Não o é, por certo, por ser brasileiro; nem tão-pouco por Timor-Leste, antes da independência, ter sido território indonésio
Não quero crer neste facto porque isto seria um puro acto de jingoísmo e os portugueses e a imprensa portuguesa não o são, pois não???

19 novembro 2006

Madagáscar a votos mas sem certezas

A república malgache vai a votos para as presidenciais embora ainda sem certezas absolutas.
Por um lado é a oposição a contestar a data decretada pelo Tribunal Constitucional devido ao facto do previsível período oficial iria coincidir com a estação das chuvas – ao contrário de um outro país africano quando um dos seus dirigentes terá afirmado que a haver eleições será sempre na época das chuvas –, por outro são militares a tentarem golpes de Estado que impeçam a recandidatura do actual presidente Marc Ravalomanana.
Segundo uma notícia do matutino português Diário de Notícias (edição de hoje, pág. 15 mas que se esqueceram de colocar no seu portal, tal como uma notícia do Congo), o primeiro incidente pré-eleitoral acorreu em Outubro quando Pierrot Rajaonarivelo, exilado em França, foi impedido por três vezes de entrar no país e a sua candidatura rejeitada pelo Tribunal Constitucional; o segundo grave incidente terá ocorrido ontem quando o avião que trazia Ravalomanana da Conferência EU-África foi obrigado a desviar de rota devido a um ataque ao aeroporto por forças afectas ao general Randrianafidisoa (Fidy) que também terá visto o Tribunal Constitucional rejeitar a sua candidatura.
De notar que Fidy foi um dos generais que apoiou Ravalomanana na disputa pós-eleitoral de 2001 que opôs o actual presidente ao autocrático Didier Ratsiraka; na altura ambos declararam vitória; Ratsiraka acabou por aceitar a derrota em Julho de 2002.

MSF saiem de Angola

Quando em Angola se contacta um acréscimo de doenças tropicais, nomeadamente, malária, cólera, doença do sono, bem assim da tuberculose e do sida, recebe-se a triste notícia que os Médicos Sem Fronteiras – Angola era a maior da missão externa do MSF –, vão sair do país devido à falta de apoio do Governo de Luanda; belgas e espanhóis deverão sair já em Dezembro, suíços e holandeses até Junho de 2007.
Demos por terminada a nossa missão de emergência humanitária. Agora cabe ao governo de Angola, país rico em diamantes e segundo maior produtor de petróleo em África, responsabilizar-se pela saúde do povo, apesar de haver muita falta de serviços, de medicamentos e de infra-estruturas” assim o afirmou a responsável dos MSF, Erna Vangoor
Será que Angola já pensou que os vai substituir ou a Faculdade de Medicina da Universidade Agostinho Neto consegue “produzir” médicos em cakulo e por isso a saúde pública em Angola vai estar precavida?
Ou será que como uma Universidade consciente e “humana” a Agostinho Neto sabe que tal não é possível e, por isso, Angola; também o ministro da Saúde, Sebastião Veloso, reconheceu que será difícil substitui-los por técnicos de saúde angolanos; pelo que não será uma tarefa nada fácil. Daqui que se pergunte se Angola vai receber mais brasileiros e chineses?
Se forem Médicos venham eles porque curandeiros e kimbandas temos bons e com fartura!!

18 novembro 2006

Programa Alfa-Tv em Bafatá

Na Guiné-Bissau o programa Alfa TV apoiado pela embaixada cubana e pela ONG "Plan Internacional" parece, ao contrário do habitual em outros projectos, começar a avançar.
De acordo com um comunicado da Embajada de Cuba na Guiné-Bissau, este programa foi estendido a tabancas da região de Bafatá.
Não quero, nem é meu desejo utilizar este meio como veículo propagandístico mas se os projectos tiverem viabilidades económicas e, principalmente, sociais e educativas – aquilo que outros e com mais responsabilidades não parecem ser, ou ter, cabal inteligência e capacidade para o fazer – devem ser elogiados, aplaudidos e divulgados.
Como, em tempos e atempadamente, Carlos Narciso, num texto sobre este assunto alertava para um antigo projecto de TV-Escola, na Guiné-Bissau, e que faliu devido à falta de conhecimentos técnicos e climatológicos da, e na, Guiné-Bissau.
Esperemos que isso não aconteça com este novo projecto. Até porque o clima cubano não é muito diferente e a memória dos homens – que não a dos político – não costuma a ser tão curta…

17 novembro 2006

Mbanza Congo, em blogue

Hoje, no Malambas, recebi a visita de um blogue que, só pelo grafismo, merece uma visita atenta; o Mbanza Kongo.
A parte decritiva do blogue percorre um fundo que é uma tela das ruínas da igreja de Mbanza Congo (deliciem-se com a imagem à esquerda). Fabuloso este grafismo.
E a música em fundo...
É um blogue recente mas, pelo que vi e li, fico com a certeza que os autores terão muito mais matéria para lá colocar. Os autores terão é que rever o blogue porque não se consegue colocar comentários nem abrir o “profile” e, após a abertura, informa “concluído mas com erros na página”; daí talvez a dificuldade.
Eu, por mim, penso ser visita frequente.

Eliseu no feminino?

(imagem ©AP via SIC/Sapo.pt)

As próximas eleições presidenciais francesas vão ter, pelo menos, uma candidata ao cargo com reais hipóteses de vitória.
A socialista Ségolène Royel foi designada candidata do PS francês às presidenciais de 2007 batendo homens como o ex-primeiro-ministro Laurent Fabius e o antigo ministro da Economia Dominique Strauss Kahn.
Mas não será a única senhora à corrida presidencial.
A líder do Partido Comunista Francês, Marie-George Buffet, foi também escolhida, por esmagadora maioria, e igualmente derrotando dois homens, para ser a candidata do seu partido à presidenciais francesas da próxima primavera.
A França, por vezes, consegue surpreender-nos favoravelmente.

16 novembro 2006

Angola vê OGE/07 aprovado e doenças a aumentar

Sem votos contra – a Unita e a FNLA abstiveram-se e os restantes votaram a favor – foi aprovado, em Luanda, o Orçamento Geral de Estado, para 2007, e o Programa Geral do Governo para o biénio 2007-2008, apresentado pelo actual Governo de Unidade e Reconstrução Nacional (GURN).
Apesar de pertencer ao GURN, (e, pelos vistos, parece que por muito mais tempo dado que as eleições nunca mais se realizam, embora o primeiro passo já esteja dado) a Unita, em termos parlamentares está entre os partidos oposicionistas.
Todavia, não podemos deixar de registar que os dois principais partidos oposicionistas não deixaram de fazer as suas críticas quanto a alguns pontos que consideram – e bem – ainda longe de estarem satisfeitos, nomeadamente, no sector da saúde.
Por alguma razão as doenças endémicas continuem a matar indiscriminadamente em Angola, enquanto postos de saúde se debatem sem fármacos.
O grupo parlamentar da Unita, liderado por Alcides Sakala, alertou para o facto dos dois documentos não contemplarem, devidamente, os interesses das populações urbanas e rurais, bem assim o combate à pobreza, corrupção, falta de emprego e transparência governativa estarem aquém do desejável.
Talvez porque as doenças endémicas continuem a matar indiscriminadamente em Angola, enquanto postos de saúde se debatem sem fármacos.
Já a FNLA propôs a melhoria do salário mínimo para a função pública (350 US dólares) e apontou o pouco progresso nos sectores da educação, habitação e saúde factos que levam ao progressivo aumento de endemias como a cólera, malária, sarampo, doença do sono, sida, tuberculose, etc.
Talvez, por isso, é que as doenças endémicas continuem a matar indiscriminadamente em Angola, enquanto postos de saúde se debatem sem fármacos.
Por sua vez, os outros grupos parlamentares (PRS e os que formam o grupo Misto) preferiram falar na descentralização financeira, na adopção de um salário mínimo condigno e invariavelmente na falta de água potável e electricidade que podem, conjugados, aumentar os índices de falta de salubridade pública.
Talvez, por isso, é que as doenças endémicas continuem a matar indiscriminadamente em Angola, enquanto postos de saúde se debatem sem fármacos.
Talvez por isso, e de acordo com Ana Fernandes, do Programa Nacional de Luta contra a Malária, citando o Ministério da Saúde, no ano passado verificaram-se 2,2 milhões de casos de malária que provocaram 12.702 óbitos.
.
*(imagens retiradas daqui)
.
ADENDA: Este texto foi publicada no portal "Africamente.com" sob o título "Orçamento para 2007"

Anorexia

Será que os espanhóis foram mesmo mais papista que o Papa?
O caso da modelo brasileira recentemente falecida e hoje largamente comentado e noticiado na Comunicação Social parece indicar que a entidade espanhola organizadora da Moda Madrid não foram tão exageradamente exigentes como alguns têm querido fazer crer.
Se a anorexia é grave a bulimia – tal como a obesidade – não lhe fica atrás.
Não será, por certo, com medidas radicais que se acabarão com estes extremos mas com uma educação cívica mais clara e uma atitude mais ponderada da OMS e um chamar de atenção das entidades empregadoras e agenciadoras da(o)s modelos.

R.D.Congo, Kabila sucede a Kabila

(Joseph Kabila, (re)eleito presidente; imagem ©daqui)

Segundo a Comissão Eleitoral, Joseph Kabila venceu a segunda volta das presidenciais obtendo 58% dos votos contra 42% alcançados por Jean-Pierre Bemba que, embora pronuncie ter havido algumas irregularidades no apuramento eleitoral, parece ter aceite o resultado, enquanto Kabila apela à calma.
A confirmação deste resultado final só depende do Supremo Tribunal de Justiça que terá de o ratificar.
Numa altura em que a tensão social no país vem aumento exponencialmente não seria de surpreender, até porque as declarações de partidários de Bemba fora do país e do arcebispo de Kinshasa, cardeal Frederic Etsou, a isso o induzem, que se perspective um pouco saudável período pós-resultados; a missão das Nações Unidas no Congo Democrático (Monuc), temendo o recomeço dos conflitos entre simpatizantes dos dois candidatos já destacou importantes meios militares para as ruas de Kinshasa.
Até porque essa tensão começou ainda este fim-de-semana quando foram divulgados resultados parciais que já indiciavam uma vitória de Kabila e só estavam escrutinados pouco mais de 50% dos 65% de votantes, algumas das principais zonas de votação ainda não o tinham sido.
Para uma divulgação de resultados que apontava, claramente, para a data limite – 19 de Novembro – parece ter havido uma rapidez pouco habitual na contagem dos votos, principalmente num país onde, há muitos anos, não havia eleições.
.
ADENDA: Infelizmente a política internacional, em geral, e o africano, em particular, começa a ser cada vez mais parecida com o desporto português: "o que é verdade agora é mentira daqui a bocado". Tudo isto porque depois de, numa primeira reacção ter dito que aceitava os resultados, Jean-Pierre Bemba vem agora dizer que não só os contesta como vai pedir a sua impugnação.

Em vésperas de eleições presidenciais…

… esta de Hugo Chavez, penso que nem ao diabo alguma vez ocorreu.
Pois o ainda presidente da Venezuela, cujas sondagens lhe darão novo mandato nas próximas eleições, propôs – forma educada de dizer exigiu – que o povo venezuelano comemorasse o Natal só com o presépio e o menino Jesus e prescindisse da Árvore de Natal e do Pai Natal por estes serem obras e ideias imperialistas.
Para quem quer passar a mão pelas costas dos Democratas, Hugo Chavez está a perder qualidades. Ou será que não?

Embora tardio, um acto que se saúda

(Eduardo dos Santos, o primeiro a dar o exemplo…)

Custou e demorou cerca de 14 anos, mas já começou!
Há muito que esperávamos por este desiderato. Ontem, finalmente, teve início o recenseamento eleitoral em Angola que irá até 15 de Dezembro e recomeçará a 15 de Janeiro até 15 de Junho de 2007.
Nesta primeira fase serão só abrangidos 51 dos 164 municípios angolanos.
Só deixo uma pergunta no ar. Será que o recenseamento também virá, alguma vez, abranger a comunidade no exterior? Esperemos que sim e que não demore muito!

15 novembro 2006

Recordar Angola Vol.2

O jornalista Paulo Salvador lança hoje, em Lisboa, na Livraria FNAC, do Centro Comercial Colombo, pelas 18,30 horas, o seu segundo volume de fotografias de Angola.
A apresentação da obra que estará a cargo de Rui Pêgo contará com uma surpresa adicional que, por razões lógicas, não mencionarei - somente que a surpresa conterá personalidades dos anos 60 e 70 que, com a sua melodiosa voz, encantaram Angola.
Tentarei não faltar a este evento.
Mas a apresentação desta obra não ficará só por Lisboa. outras localidades portuguesas estarão no périplo do jornalista e autor, conforme segue:
Livraria Bertrand Algarve, Guia, 18-11-2006, às 15.30 horas; Bertrand Porto Antas, 24, às 21h; Bertrand Coimbra Dolce Vita, 25, às 18.30h; Bertrand Fórum Aveiro, 26, às 16.30h; Bertrand Fórum Viseu, 2-12-200, às 18h; Bertrand Vasco da Gama, Lisboa, 16, pelas 16h; Fórum Almada, 17, às 21.30 horas.
Espera-se, e deseja-se, que esta apresentação também possa vir a incluir o nosso país e que, tão breve quanto o possível, Paulo Salvador vá a Luanda mostrar esta sua obra.

14 novembro 2006

Xanana, Fretilin e o estado do Estado timorense

A Fretilin tem vindo a acusar que algumas pessoas – sem as identificar – estiveram por por detrás dos acontecimentos de, e posteriores, Maio passado, especulando que tudo não terá passado de “um plano bem traçado de contra-inteligência, tendo em vista a subversão da ordem constitucional”.
Xanana Gusmão, enquanto presidente de Timor-Lorosae tem exigido à Fretilin que identifique essas pessoas para que as mesmas sejam presentes às autoridades e respondam pelos actos.
Até aqui tudo bem.
Agora já não se compreendem são algumas das palavras que eventualmente terão sido imputadas ao presidente timorense “O Povo Unido até pode ajudar … a apanhá-las e metê-las em Becora [principal prisão em Timor Leste], para aprenderem a perceber que a nossa democracia não permite manifestações contra o Governo! Eu creio que o povo ficará contente e descansado por, finalmente, castigarmos esses profundamente anti-democráticos e golpistas!!!
Mas é anti-democrático fazer-se manifestações contra o Governo? Então não é esta uma das maiores premissas da Democracia o Povo se manifestar – dentro da legalidade exigida, lógico – sempre que os seus direitos estejam a serem violados, sejam pelo Governo ou por terceiros?
Em circunstâncias normais diria que teria havido uma eventual incorrecta tradução das palavras de Xanana Gusmão de tétum para português. Ora acontece que o documento presidencial estava em português sendo enviado à Agência Lusa e parcialmente publicado, em tétum, na edição de ontem do diário «Suara Timor LoroSae» pelo que os jornalistas não poderão ser culpabilizados de deficientes interpretações.
Poucos dias depois de ter sido recordado o 15º aniversário do massacre do cemitério de Santa Cruz não me parece curial toda esta polémica.

Rumsfeld vai a um Tribunal Internacional?

De acordo com notícias veiculadas a partir de Alemanha, um grupo internacional de advogados deseja colocar o antigo secretário da Defesa norte-americano Donald Rumsfeld em Tribunal devido ao “acolhimento” do uso da tortura contra prisioneiros de guerra no Iraque e em Guantanamo.
Mas não será o único da Administração Bush que viu o nome ter sido entregue à Procuradora-geral da Alemanha. Cinco outras personalidades, entre as quais o ministro da Justiça, Attorney General, Alberto Gonzalez, antigo conselheiro da Casa Branca, e George Tenet, antigo director da CIA, também estão no role dos apontados.
Se a moda pega…
Bem razão tinha os EUA em não aceitarem o Tribunal Penal Internacional (TPI) e celebrar acordos com alguns países para que os seus concidadãos nunca pudessem ser acusados ao abrigo daquele Tribunal.
Se a moda pega…

13 novembro 2006

A China e o novo El dourado - artigo de opinião

Artigo de opinião publicado no portal moçambicano Canal de Moçambique: "África, a “beautiful Africa”, é cada vez mais um novo El Dourado para a China; cerca de 10% do comércio africano é, nesta actual conjuntura, feito com a China.
É de lá que chega o principal fornecimento petrolífero – Angola é neste momento o principal fornecedor de crude à China tendo destronado a Arábia Saudita, o até agora maior fornecedor – que sustenta o maior desenvolvimento económico da actualidade. Em África está aquele que parece ser o novo campo de concentração de alguns dos seus condenados e onde, no fim dos contratos, são depois esquecidos...
" - continuar a ler aqui no

12 novembro 2006

Machel de volta à Frelimo?

(imagem ©BBC-world)

Parece ser cada vez mais evidente o regresso do apelido Machel à ribalta política moçambicana e à Frelimo. Nada que alguns analistas locais já não viessem a avisar, admitindo que o seu regresso estaria dependente da vida de Mandela.
No IX Congresso Graça Machel demonstrou que se prepara para “combater” pelo partido denunciando o aumentando “despudorado” das tendências regionalistas e tribalistas dentro da Frelimo, o aumento da corrupção e a dilapidação de bens do Estado por pessoas do partido e que demonstram não temerem mostrar uma elevada ostentação de riqueza enquanto pedem ao povo lute pelo fim da pobreza.
É certo que o antigo e falecido primeiro-ministro sueco, Olaf Palme, dizia que preferia que em vez de acabarem com o capitalismo fosse este a ajudar combater a pobreza. Mas nunca disse que o fim da pobreza era a ostentação da riqueza auferida e, muito menos, que o mesmo passava pela corrupção e esbanjamento dos bens públicos.
Infelizmente, este não é um paradigma só de Moçambique; na região há outros que são mais mestres...

R D Congo sob tensão

(estrada Bona-Matadi; imagem ©daqui)

Apesar de, oficialmente, só se dever saber no próximo dia 19 quem venceu a 2ª voltas das presidenciais na República Democrática do Congo, as primeiras projecções intercalares dão uma vantagem significativa a Joseph Kabila.
E enquanto a contagem continua partidários afectos aos candidatos já se digladiam nas ruas de Kinshasa levando o exército a entrar de prevenção o que coloca o país em forte tensão.
Apesar dos representantes dos dois candidatos terem assinado um memorando respeitando os resultados, a verdade é que já surgem especulações, alertas preocupantes e pouca disponibilidade em aceitá-los livremente.
Já agora recordava aqui um alerta, um oportuno alerta, diga-se, de Carlos Narciso, no Blogda-se, em finais de Setembro, e que se inicia assim "O que se passou em Angola, em Outubro de 92, parece ir repetir-se agora em Kinshasa...". Para reler e pensar!

Moçambique, nada de novo com a Frelimo?

Quando se esperava que o IX Congresso da Frelimo - onde se prevê gastos perto de um milhão de USdólares - a decorrer em Quelimane nos viesse trazer não só sangue novo, em função da rotatividade aprovada no último Congresso com a entrada de novos membros para o Comité Central – vão ser substituídos 40% dos actuais membros –, como também novas linhas programáticas – mais modernas e preparadas para a alternância – eis que se repara, a fazer fé num artigo da Angop, a partir de Maputo, que tudo se vai manter na mesma.
Senão, vejamos este magnífico parágrafo: “A FRELIMO continua a ser dominada pela geração da luta armada contra os portugueses e que vai governar o país pelo menos até 2014, quando termina o segundo e último mandato presidencial de Armando Guebuza”.
Ora, se Armando Emílio Guebuza, o actual presidente de Moçambique, ainda está no seu primeiro mandato presidencial, iniciado em Fevereiro de 2005.
Será que têm alguma premonição que não haverá candidatos disponíveis para contra ele concorrer ou quererá a ilustre Angop dizer que Guebuza vai provocar um “golpe” palaciano e fazer manter-se no poder durante os dois mandatos.
Temos de reconhecer que é uma acusação disparatada – então Moçambique não está entre as democracias mais estabilizadas de África? – e extemporânea.
Há que avisar a Angop que nem todos gostam de copiar as coisas menos correctas dos vizinhos ou parceiros, nem mesmo dos amigos de peito…

11 novembro 2006

O 1º de Agosto fez a “dobradinha”

(imagem via TV - Obrigado RTP-África)

Parabéns aos negro-rubros que juntaram a Taça de Angola ao Girabola 2006!
No dia da Dipanda, a RTP-África ofereceu à comunidade angolana presente no estrangeiro a final da Taça de Angola realizada entre o Sport Luanda e Benfica (SLB) – jogou de branco – e o 1º. de Agosto, também de Luanda, que nos presentearam com uma final de fraca qualidade quando, em presença, estavam os “militares”, novos campeões de Angola, e a equipa sensação da primeira metade do Girabola, o SLB.
Ao fim dos 120 minutos de jogo as equipas terminaram empatadas a 1 bola com golos de Gazeta, pelo 1º de Agosto (ao expirar da 1ª parte), e Vado, pelos benfiquistas, no recomeço.
Nos remates da marca de grande penalidade o resultado final foi de 4-3 a favor dos militares com o guarda-redes dos negro-rubros a defender dois remates.
Pela primeira vez, a final da Taça de Angola contou com um prémio pecuniário. O vencedor arrecadou 50.000 USdólares enquanto a equipa vencida recebeu 25.000 USdólares.
Apesar de derrotado – e de escamoteado de um penalty no findar da primeira-parte; até em Luanda somos “roubados” – o Benfica de Luanda vai estar presente na Afro-Taças do próximo ano.

10 novembro 2006

Um país, um só povo, uma só Nação!!

NOTA: Se quiser pode ouvir Hino Nacional de Angola (versão instrumental) enquanto lê este apontamento: clique aqui

Esta foi uma das frases mais bonitas que se ouviu – e se ouve – durante muito tempo e sempre evocada quando a isso convém.
Esta deveria ter sido a frase-mote para um país se tornar ainda maior, mais soberano, mais fraterno, mais justo e mais igualitário.
Mas os Homens querem sempre mais do que aquilo que a Natureza lhes pode facultar.
Não lhes basta a ideia do poder. Querem o Poder!
Não lhes basta a vida. Querem a Fortuna!
Não lhes basta servir. Querem ser Servidos!
Não lhes basta o porvir. Querem o Imediato e o Ontem!
Não lhes basta terem morrido alguns milhares devido a uma guerra incompreensível, quando todos queriam o mesmo e onde não houve um verdadeiro vencedor: uma Angola grande, soberana, fraterna, justa e igualitária e onde o poder das ideias deveria sempre, mas sempre, se sobrepor às ideias do poder!
Não lhes basta o pouco que lhes possam dar. Não!! Querem TUDO!!!
Para eles, só a ideia do poder os torna mais legítimos!
Para eles, só o abocanhar de mais e mais sucesso, independentemente de como ele lhes chega, os mantém mais distintos!
Para eles, só a servidão e a subserviência os faz mais nobres!
Para eles, só o imediato e o absurdo os torna mais perspicazes!
Com esta forma de pensar como pode o Povo angolano ter alguma esperança na mudança?
Cada vez mais parece ser difícil essa aspiração!
Vozes incómodas são silenciadas; os meios não interessam nem são justificáveis. Todos os fins são legítimos…
Nada mais desacertado!!!
Organizações que se querem isentas e livres são apelidadas de inconvenientes ou alinhadas com terceiros e, por isso, muitas vezes vêem os seus projectos adiados e, ou, quase gorados…
Nada mais despropositado!!!
As velhas e caducas estratégicas políticas estão falidas e nada fazem por as alterar. O simples facto disso poder ser pensado, ou ponderado, poderia ser interpretado pelo contrário como um baixar de braços e uma rendição…
Nada mais inexacto!!!
Entretanto o povo vai padecendo pandemias que não decrescem, uma corrupção que só alimenta os ineptos, um poder mais e mais paralelo, um enorme império económico nas mãos de alguns poucos enquanto o Povo amofina de fome…
Nada mais incompreensível!!!
Angola pode e deve ser uma Grande Nação!
Por uma vez esqueçamos os 31 anos já perdidos e olhemos o próximo como o ano ZERO, o ano do arranque de uma Angola mais justa, mais igualitária, mais fraterna, mais soberana, mais Nação!
Vamos fazer que uma das frases mais bonitas do Hino – enquanto não houver outro é este o nosso Hino – seja realmente a motivação que os Angolanos precisam para tornar Angola naquilo que todos queremos que seja: Um só Povo, uma só Nação!
O 11 de Novembro é já amanhã!!
Comecemos a criar hoje um amanhã melhor, mais fraterno e mais justo.
Angola e os Angolanos merecem-no e podem e devem exigi-lo.
Que os políticos de hoje, saibam que não vão estar sempre «disponíveis» amanhã!!!
Um só Povo! Uma só Nação! Uma Angola Enorme!

Maputo 119 anos e Montepuez foi há 6…

(imagem ©daqui)
Enquanto Maputo, a capital da princesa do Índico, faz hoje 119 belos e promissores anos, em Montepuez lamenta-se o 6º aniversário da morte de inúmeros prisioneiros numa reduzida cela de uma prisão daquela localidade.
Tudo porque queriam usufruir de um dos mais elementares direitos da democracia: o de ter uma opinião contrária…

08 novembro 2006

Quando os bokassas enriquecem…

O portal online moçambicano Canal de Moçambique, sob o título acima faz uma excelente e cáustica introdução a um não menos excelente artigo do jornalista angolano-português Orlando Castro na rubrica “Alto Hama” no Notícias Lusófonas e no seu blogue Alto Hama com o título “Hoje ainda estamos vivos, a luta continua”.
E se pensarmos que a edição nº 188, de 4 de Novembro, do Semanário Angolense também, se bem que indirectamente, aborda este assunto…

Crise social francesa... - artigo de opinião

"Um ano se passou sobre os graves distúrbios sociais em França ocorridos em Outubro de 2005.
Na altura os principais dirigentes, em avançada pré-campanha para as presidenciais do próximo ano tudo fizeram e tudo prometeram para resolver e sanar os problemas subjacentes que provocaram a mais grave crise social francesa que há memória, desde 1968.
Um ano se passou e, pelos vistos, pouco ou nada se fez.
Um ano se passou e, de novo, a crise estalou.
"
Artigo elaborado no final de Outubro e publicado na edição de 4-Nov-2006 do semanário santomense Correio da Semana, sob o título "Crise social francesa mantém-se um ano depois!!!" e que pode ser lido, na íntegra, aqui.